ÁFRICA/REP. CENTRO-AFRICANA - Substituídos o Ministro da Defesa e o Chefe do Estado Maior

Quinta, 3 Janeiro 2013

Bangui (Agência Fides) - O Presidente centro-africano François Bozizé destituiu o Ministro da Defesa, seu filho Jean-Francis Bozizé, e o Chefe do Estado Maior, o general Guillaume Lapo. O Chefe de Estado, que assumiu interinamente o papel de Ministro da Defesa, recentemente tinha criticado a falta de disciplina e as derrotas acumuladas pelas forças armadas diante do avanço da coalizão dos rebeldes Seleka, que estão posicionados a 160 km de Bangui.
A decisão de Bozizé de retomar diretamente as rédeas das operações militares é interpretada pela imprensa ligada à oposição como o sinal de que o Presidente pretende seguir a opção militar para reconquistar o território em mãos aos rebeldes, apesar da negociação que deveria iniciar no Gabão em 8 de janeiro entre o governo e os representantes Seleka. Segundo a rebelião, as forças armadas locais receberam recentemente grande quantidade de armas provenientes da África do Sul, junto a reforços de mercenários sul-africanos.
No terreno, o impasse continua. Os rebeldes detiveram sua ofensiva em direção a Bangui, enquanto os militares da Força Multinacional da África Central (FOMAC) se posicionaram a Damara, a 75 km da capital. "Damara é uma linha vermelha insuperável para ambas as partes", advertiu o Presidente chadiano Idriss Deby, cujos militares constituem uma componente importante da FOMAC, formada por cerca de 400 soldados do Chade, aos quais se acrescentam 360 militares de Gabão, Camarões e Congo. A FOMAC tem oficialmente a tarefa de inserir-se entre as duas frentes, enquanto os 600 militares franceses enviados por Paris têm a missão de proteger os cidadãos franceses na República Centro-Africana, sem no entanto interferir nos problemas internos do país, como ao invés ocorreu até um passado muito recente. (L.M.) (Agência Fides 3/1/2013)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network