ÁFRICA/RD CONGO - Situação dramática em Masisi pela presença de vários grupos rebeldes, enquanto se teme a chegada do M23

Quarta, 28 Novembro 2012

Kinshasa (Agência Fides) - "Os habitantes de Masisi vivem entre o medo da chegada iminente dos rebeldes do grupo M23 e os efeitos dos violentos ataques de vários grupos presentes na região", afirma um comunicado enviado à Agência Fides por Jesuit Refugee Service da Região dos Grandes Lagos.
O distrito de Masisi se encontra a cerca de 100 km de Goma, a capital do Kivu do Norte (leste da República Democrática do Congo) ocupada pelo movimento dos rebeldes M23 nos dias passados. Segundo notícias de agências, os homens do M23 estão deixando Goma na manhã de hoje, 28 de novembro. “Abandonamos as nossas casas sem poder levar alimentos conosco. Fugimos na floresta com um único objetivo em mente, a nossa segurança. E não temos qualquer ideia de quando e como voltaremos para casa", disse um morador de Masisi, que deixou a sua casa em 25 de novembro após a eclosão dos combates entre o exército congolês e os milicianos Mai-Mai.
Os violentos confrontos começaram depois da tentativa da milícia Mai-Mai, que se supõe seja aliada do M23, de tomar o controle das armas do exército congolês. “Quando ouvimos os disparos, assistimos à fuga em massa da população de Masisi. No início, muitos se refugiaram na paróquia, depois iniciaram a fuga em direção a Nyabiondo. Podia-se ler o medo nos olhos deles”, disse um membro do JRS de Masisi.
Vários deslocados internos encontraram refúgio no campo vizinho de Bukombo, onde estão abrigados nos edifícios escolares. "Não temos nada para comer ou para beber. Sobretudo as mulheres e as crianças estão em estado de choque. E não temos a mínima ideia de quando finalmente teremos paz. Hoje fugimos dos Mai-Mai, amanhã talvez do M23", afirma uma das pessoas deslocadas.
Apesar da deterioração da crise no Kivu Norte, o pessoal do JRS no distrito de Masisi tinha reiniciado por pouco tempo as próprias atividades de educação formal e informal, entre as quais a construção de uma escola secundária. Depois dos últimos episódios de violência, o JRS foi obrigado, porém, a suspender todas as atividades em Masisi. (L.M.) (Agência Fides 28/11/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network