VATICANO - Papa: "Por meio deste Consistório, desejo ressaltar que a Igreja é Igreja de todos os povos e portanto, se expressa nas várias culturas e diversos Continentes”

Segunda, 26 Novembro 2012

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – O Colégio Cardinalício “apresenta uma variedade de rostos, dado que exprime o rosto da Igreja universal. Desejo, com este Consistório, pôr em evidência de modo particular que a Igreja é Igreja de todos os povos, e por conseguinte, exprime-se nas várias culturas dos diversos Continentes. É a Igreja de Pentecostes, que, na polifonia das vozes, ergue um canto único e harmonioso ao Deus vivo”. Esta é uma passagem da homilia pronunciada pelo Santo Padre Bento XVI durante o Consistório Ordinário Público para a criação de 6 novos Cardeais, realizado na manhã de sábado, 24 de novembro, na Basílica Vaticana. Os novos Purpurados são Dom James Michael Harvey, Arcipreste da Basílica Papal de São Paulo fora dos Muros; Sua Beatitude Béchara Boutros Rai, Patriarca de Antioquia dos Maronitas (Líbano); Sua Beatitude Baselios Cleemis Thottunkal, Arcebispo-Mór de Trivandrum dos Sírio-malancarenses (Índia); Dom John Olorunfemi Onaiyekan, Arcebispo de Abuja (Nigéria); Dom Rubén Salazar Gómez, Arcebispo de Bogotá (Colômbia); e Dom Luis Antonio Tagle, Arcebispo de Manila (Filipinas).
Centrando-se na catolicidade da Igreja, “porque Cristo, na sua missão de salvação, abraça toda a humanidade”, o Papa sublinhou, entre outras coisas: “a missão universal da Igreja não parte de baixo, mas desce do alto, do Espírito Santo e, desde o primeiro instante, está orientada para se exprimir em todas as culturas e assim formar o único Povo de Deus. Não se trata tanto de uma comunidade local que cresce e se alarga lentamente, como sobretudo de um fermento que abre para o universal, para o todo, trazendo em si mesmo a universalidade”.
Domingo, 25 de novembro, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, o Santo Padre Bento XVI presidiu na Basílica Vaticana a Concelebração eucarística com os 6 novos Cardeais, e na homilia, ao comentar as leituras do dia, ressaltou que “Jesus não tem nenhuma ambição política… Jesus fala de rei, de reino, mas não se refere ao domínio, mas à verdade… Jesus veio para revelar e trazer uma nova realeza: a realeza de Deus; veio para dar testemunho da verdade de um Deus que é amor e que deseja estabelecer um reino de justiça, de amor e de paz”. Dirigindo-se aos novos Cardeais, recordou-lhes que a eles “è confiada esta responsabilidade impelente: dar testemunho do reino de Deus, da verdade. Isso significa fazer sobressair sempre a prioridade de Deus e da sua vontade face aos interesses do mundo e dos seus poderes”.
Também antes de rezar o Angelus, o Santo Padre voltou a falar do significado da solenidade de Cristo Rei: “Toda a missão de Jesus e o conteúdo de sua mensagem consistem em anunciar o Reino de Deus e atuá-lo em meio aos homens, por meio de sinais e prodígios... Este Reino de Cristo foi confiado à Igreja, que é a sua “semente” e “início”, e tem o dever de anunciá-lo e difundi-lo a todas as gentes, com a força do Espírito Santo. Em seguida, o Papa prosseguiu: “todos nós somos chamados a prolongar a obra salvífica de Deus convertendo-nos ao Evangelho, colocando-nos com firmeza à disponibilidade do Rei que não veio para ser servido, mas para servir e dar testemunho da Verdade”. Enfim, convidou todos a rezar pelos novos Cardeais, “para que o Espírito Santo os reforce na fé e na caridade e lhes doe seus dons, para que vivam a sua nova responsabilidade com nova dedicação a Cristo e a seu Reino. Estes novos membros do Colégio Cardinalício bem representam a dimensão universal da Igreja: são Pastores de Igrejas no Líbano, na Índia, na Nigéria, na Colômbia, nas Filipinas, e um deles está há muitos anos a serviço da Santa Sé. Invoquemos a proteção de Maria Santíssima sobre cada um deles e aos fiéis confiados a seu serviço”. (SL) (Agência Fides 26/11/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network