VATICANO - Card. Filoni aos seminaristas de Owerri: preparem-se para ser arautos da Nova Evangelização

Sexta, 9 Novembro 2012

Owerri (Agência Fides) – Na capela do Seminário de Owerri, dedicado a Maria "Sedes Sapientiae" (Seat of Wisdom), “coração de todas as Dioceses e Congregações que ali enviam seus seminaristas para se prepararem ao sacerdócio”, o Prefeito do Dicastério Missionário, Card. Fernando Filoni, presidiu esta manhã a Concelebração Eucarística na festividade da Dedicação da Basílica de São João de Latrão. Na homilia, o Cardeal recordou, antes de tudo, o que Bento XVI afirma em seu Motu proprio "Porta Fidei": “é o dom do Espírito Santo que nos prepara para a missão e reforça nosso testemunho”, e exortou formadores, professores e seminaristas a tentarem ser “abertos o mais possível à orientação do Espírito Santo”, para serem capazes de responder adequadamente às expectativas da comunidade.
“A vocação de se tornar ou de ser sacerdotes – disse o Cardeal – não é uma escolha que fazemos, mas é um chamado do próprio Senhor que aceitamos e ao qual respondemos com o nosso ‘sim’... o trabalho do seminário é ajudar a fazer experiência da ação do Espírito Santo e a entender as coisas do Espírito de Deus. É necessário entrar em uma relação íntima com o Espírito Santo a fim de que as intenções do Senhor para vocês se tornem claras”.
Prosseguindo em sua homilia, o Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos destacou que “o Seminário deve ser uma escola de sabedoria e de santidade” e que os anos da formação devem preparar os “arautos da Nova Evangelização”, que através de novos métodos e novo entusiasmo, não apresentem a mensagem evangélica “como uma história ou uma ideologia, mas como um evento, uma pessoa, ou seja, Jesus Cristo, morto e ressuscitado no terceiro dia”. A formação no Seminário se baseia em quatro pilares: humano, acadêmica, espiritual e pastoral. “Cada uma delas é importante” – sublinhou o Card. Filoni, que se deteve especialmente sobre a formação humana e a importância da maturação, “para que vocês sejam para os outros uma ponte de encontro com Cristo”. “Se as pessoas nos ouvem – prosseguiu o Card. Filoni -, não é porque usamos um colarinho ou acreditamos ser pessoas importantes, mas exclusivamente porque somos testemunhas daquele que professamos como nosso Senhor e Mestre, Jesus Cristo. Com este objetivo, a comunidade do seminário deve ser um local em que a fé, em sua plenitude e autenticidade, é professada, celebrada, vivida e pregada. A fé cresce ao ser vivida”.
Antes de exortar os seminaristas a seguir o Senhor Jesus sem reservas, e confiar-se à materna proteção da Virgem Sedes Sapientiae, o Cardeal ressaltou que “ser cristão é um dom” e “ser chamados a seguir o Senhor é um privilégio”, e portanto, “não se deve ter medo de oferecer a própria vida à Igreja”. (SL) (Agência Fides 09/11/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network