ÁFRICA/CONGO RD - No Kivu Norte um novo grupo rebelde agride a população civil, denuncia uma fonte de Fides

Quarta, 17 Outubro 2012

Kinshasa (Agência Fides) – No Kivu Norte (leste da República Democrática do Congo) surgiu um novo grupo rebelde que agride a população civil. É o que denuncia uma fonte missionária de Fides que deseja permanecer anônima por razões de segurança. "Em resposta ao grupo M23 (formado por desertores e apoiado por Ruanda), nasceu um novo grupo rebelde chamado M26", diz a nossa fonte. "Os seus membros afirmam que querem garantir e proteger a população local, em troca disso pedem a cada pessoa adulta uma taxa de 1.200 francos congoleses por mês. Ou melhor a impõe. A quem paga é dada uma moeda que certifica o pagamento. Quem não paga é considerado contra eles e a retaliação é provável. Aqui todos são obrigados a pagar essa taxa", continua a nossa fonte, acrescentando que "é o mesmo esquema usado pelo FDLR (Forças Democráticas para a Libertação de Ruanda), que dão a moeda às pessoas que fazem o trabalho forçado para eles. Aqueles que não possuem a moeda é obrigado a pagar uma multa".
O testemunho da fonte de Fides é mais uma confirmação da guerra de predação exercida no leste da RDC, onde vários grupos armados estão lutando entre si (mas estão prontos para formar alianças temporárias) para o controle dos imensos recursos da região, conforme denunciado por vários relatórios da ONU, o último dos quais é desses dias. A Agência Reuters publicou uma prévia do relatório, elaborado pelo grupo de estudo britânico Chatham House, destacando o envolvimento de Uganda e Ruanda no contrabando de minerais (estanho, tântalo, tungstênio e ouro) extraídos ilegalmente na região congolesa. (L.M.) (Agência Fides 17/10/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network