ÁFRICA/ RD CONGO - Não só o M23; outros grupos cometem violências contra os civis no Norte do Kivu

Quinta, 11 Outubro 2012

Kinshasa (Agência Fides) – Continuam as violências contra civis no leste da República Democrática do Congo. Segundo a imprensa local, três dias atrás, homens do líder rebelde Manu atacaram a aldeia de Bilulu, depois de ameaçar e levar à fuga a guarda local. Fontes da sociedade civil afirmam que esta foi a quarta aldeia ocupada por homens de Manu neo Norte do Kivu e na confinante Província Oriental, onde assinalam-se saques com incêndios de habitações e casos de tortura.
Fala-se muito, justamente, das violências do M23 (grupo de militares desertores presumivelmente apoiado por Ruanda), mas isto está levando a esquecer a todos a existência de muitos outros grupos armados dentro do Norte de Kivu, nas áreas mais remotas do território de Masisi, especialmente” – diz à Agência Fides uma fonte da Igreja local que pediu o anonimato por razões de segurança. “É certamente verdade que o M23 está causando danos enormes aos civis: perto de Goma, em Kanyaru, criou-se espontaneamente um novo campo, que hospeda 60 mil desalojados” - continua a fonte da Fides. “Mas no Norte de Kivu, milhares de desalojados sofrem violências de outros grupos armados, como as FDLR (Forças Democráticas de Libertação de Ruanda) e Nyatura (ambos de etnia Hutu), Raia Mutomboki e APCLS (tribo Hunde), só para citar alguns”.
A nossa fonte afirma ainda que “ninguém informou que no início de agosto, dois campos espontâneos de desabrigados, no território de Masisi (Kishondja e Kihuma) foram literalmente destruídos por estas milícias, obrigando milhares de pessoas a fugir, mais uma vez em suas vidas. Em fins de setembro, muitas casas do campo oficial de Kilimani, sempre em Masisi, foram queimadas. E mais uma vez, os moradores foram obrigados a fugir”.
Em 30 de setembro, o Papa Bento XVI lançou um apelo para que não sejam esquecidos os refugiados do Norte de Kivu (veja Fides 1/10/2012). Nestes dias, a RDC está no centro da atenção internacional devido à Cúpula da Francofonia, que se realizará em Kinshasa de 12 a 14 de outubro, da qual participará o Presidente francês François Hollande. (L.M.) (Agência Fides 11/10/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network