VATICANO - O Papa abre o Sínodo sobre a Nova Evangelização: "Em nossos tempos o Espírito Santo suscitou na Igreja um novo impulso para anunciar a Boa Nova"

Segunda, 8 Outubro 2012

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – No domingo, 7 de outubro, no sagrado da Basílica Vaticana, o Santo Padre Bento XVI presidiu a celebração eucarística de abertura da XIII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre o tema: "A nova evangelização para a transmissão da fé cristã "e proclamou "Doutores da Igreja" São João d'Ávila e São Hildegarda de Bingen. Em sua homilia, o Santo Padre se deteve a ilustrar o significado da "nova evangelização", relacionando-o com a evangelização ordinária e com a missão ad gentes. Eis as suas palavras: "A Igreja existe para evangelizar. Fiéis ao mandato do Senhor Jesus Cristo, seus discípulos foram para o mundo anunciar a Boa Nova, fundando em todo lugar comunidades cristãs. Com o tempo, se tornaram Igrejas bem organizadas com vários fiéis. Em determinados períodos da história, a Providência Divina ganhou um renovado dinamismo da atividade evangelizadora da Igreja. Basta pensar na evangelização dos povos anglo-saxões e eslavos, ou na transmissão do Evangelho no continente americano, e depois nos tempos missionários rumo aos povos da África, Ásia e Oceania. Neste contexto dinâmico gosto de olhar para duas figuras luminosas que acabei de proclamar Doutores da Igreja: São João d'Ávila e São Hildegarda de Bingen. Também em nossos tempos o Espírito Santo suscitou na Igreja um novo impulso para anunciar a Boa Nova, um dinamismo espiritual e pastoral que encontrou a sua expressão mais universal e seu forte impulso no Concílio Ecumênico Vaticano II. Esse dinamismo renovado de evangelização produz uma influência benéfica sobre dois "ramos" específicos que deles se desenvolvem, ou seja, de um lado, a missio ad gentes, ou seja, o anúncio do Evangelho para aqueles que não conhecem Jesus Cristo e sua mensagem de salvação; e por outro, a nova evangelização, orientada principalmente para as pessoas que, embora batizadas, se distanciaram da Igreja e vivem sem referência à prática cristã. A Assembleia sinodal que hoje se abre é dedicada a essa nova evangelização, para favorecer a essas pessoas um novo encontro com o Senhor, que só preenche de significado profundo e de paz a nossa existência; para incentivar a redescoberta da fé, fonte da graça que traz alegria e esperança na vida pessoas, familiar e social. Obviamente, tal orientação particular não deve diminuir nem o impulso missionário, no sentido próprio, nem a atividade ordinária de evangelização em nossas comunidades cristãs. De fato, os três aspectos da única realidade de evangelização se completam e se fecundam reciprocamente". (SL) (Agência Fides 08/10/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network