AMÉRICA/HONDURAS - "Honduras continua sendo manchada de sangue pela violência", denúncia o Bispo Auxiliar de Tegucigalpa

Terça, 4 Setembro 2012

Tegucigalpa (Agência Fides) - O Bispo Auxiliar de Tegucigalpa, Dom Juan José Pineda, exortou os fiéis a agirem de forma coerente com a religião católica, para combater a violência que tem ensanguentado o país. No contexto do início do mês da pátria em Honduras, domingo, 2 de setembro, o bispo recordou que "na história e na letra de nosso hino nacional, os nossos heróis e o nosso povo foram manchados de sangue, hoje Honduras continua sendo ‘manchada de sangue’ por causa da violência no país".
Uma carta enviada à Agência Fides fala sobre a reflexão feita pelo bispo em sua homilia, onde denunciou: "Em nosso país há violência, não há paz. Existe ainda ódio e não vemos a fraternidade. Para um cristão não basta ir à missa aos domingos. Não estou dizendo que não seja importante esta celebração, mas a ela deve corresponder uma vida coerente". Dom Pineda exortou os fiéis a viverem a sua fé, a ajudar os necessitados e não "sujar as mãos com a violência", que muitas vezes distancia de Deus. A pessoa que vive a justiça não está envolvida em coisas extraordinárias, mas vive de maneira honesta, tem intenções leais, não pensa em fazer o mal ao próximo, nem calunia seu próximo, não empresta dinheiro a juros, e não age contra o inocente.
Há algumas semanas, publicações e autoridades religiosas têm comentado sobre o mais recente relatório publicado pelo Observatório da Violência, elaborado pela Universidade Nacional Autônoma de Honduras (UNAH), onde se lê que em 2011 o número médio diário de assassinatos chegou a 20 vítimas. O relatório, divulgado também na imprensa local, nota o aumento em relação a 2010. O número total de mortes por causas externas foi de 9.799 (7.104 assassinatos, 1.098 acidentes nas estradas, 730 mortes por causas indeterminadas, 551 de outras causas e 316 suicídios). (CE) (Agência Fides, 04/09/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network