http://www.fides.org

Africa

2004-10-22

ÁFRICA/ZÂMBIA - Os 40 anos de independência da Zâmbia marcados por um empobrecimento crescente

Lusaka (Agência Fides)- A Zâmbia se prepara a celebrar no domingo, 24 de outubro, os 40 anos da sua independência olhando para o futuro com extrema incerteza. Se o país, de fato, foi poupado de conflitos e guerras civis, do ponto de vista econômico e social o balanço é extremamente preocupante. Também os chefes das Igrejas cristãs divulgaram um documento que traça um balanço dos 40 anos da independência do país, no qual se evidencia os desafios a serem enfrentados (veja Fides de 19 de outubro de 2004) A Zâmbia tem uma das taxas mais elevadas de pessoas atingidas pelo HIV/AIDS. Dos cerca de 10 milhões e meio de habitantes, de fato, 1 em cada 5 é soropositivo ou contraiu a doença. No país, existem mais de 600 mil crianças que perderam os dois pais por causa da AIDS.
A causa principal desta situação é a extrema pobreza do país. 64% dos habitantes da Zâmbia vive com menos de um dólar por dia. O país está asfixiado com a dívida externa, que é de 5 bilhões e meio de dólares. A economia é ainda extremamente dependente da exportação de cobre, do qual a Zâmbia é um dos maiores exportadores. 55% das exportações da Zâmbia é representado pelo cobre, cuja queda dos preços determinou no anos 70 uma gravíssima crise econômica.
Isso porque a Zâmbia, no momento da independência, era o país mais próspero da África austral, atrás somente da África do Sul como riqueza produzida. Em 1964, o seu Produto Interno Bruto era igual ao da Coréia do Sul. Em 2004, o PIB zambiano alcançou 4 bilhões de dólares, ou seja, apenas 1% do BIB sul-coreano.
E para compreender o porquê da pobreza de um continente potencialmente rico, a Fides vai publicar no sábado, 23 de outubro, um amplo dossiê intitulado “Por que os ricos são pobres?” (L.M.) (Agência Fides 22/10/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network