OCEANIA/AUSTRÁLIA - Mulheres e Desenvolvimento: 70% dos pobres de todo o mundo são mulheres

Quinta, 9 Junho 2011

Sidney (Agência Fides) - Segundo algumas estatísticas recentes, as mulheres representam 70% dos pobres do mundo inteiro. Estão em desvantagem por diversos aspectos que as submetem ao risco da pobreza e fome, por causa da constante discriminação que sofrem em quase todos os setores: educação, trabalho, saúde, controle das atividades, participação na sociedade. A situação de pobreza com frequência as submete a sérios riscos de violência, especialmente durante os conflitos em que, geralmente, são as principais vítimas. A Caritas Austrália reiterou a necessidade de uma mudança urgente para cuidar dessa categoria, apoiando o Millennium Development Goal 3, o qual reconhece que crescimento e desenvolvimento sustentáveis podem ocorrer somente quando todos, homens, mulheres, moças e rapazes, tenham total participação nas questões que dizem respeito às suas vidas.
Quando as mulheres têm poder econômico, toda a comunidade se beneficia. Alguns estudos demonstram que as mulheres investem os seus ganhos nas despesas familiares relativas à saúde e ao bem estar de todos os componentes da família, como a alimentação, os medicamentos e a educação. Além disso, quanto mais alto o nível de educação feminina, melhor é a saúde materna e infantil e a taxa de sobrevivência infantil. Em algumas áreas do mundo, as mulheres são responsáveis por 70% do trabalho agrícola e produzem mais de 90% dos alimentos. O World Bank calculou que somente na África subsaariana, a produção alimentar poderia aumentar em 20% simplesmente melhorando o acesso das mulheres aos equipamentos agrícolas, à variedade de sementes e fertilizantes.
Caritas Austrália promove a saúde e o bem estar de mulheres, homens, rapazes e moças por meio de programas integrados em todas as regiões em que está empenhada. A organização trabalha tanto com homens quanto com mulheres para melhorar a participação econômica e social das mulheres e das moças em suas comunidades. Está empenhada também na erradicação de algumas das causas mais profundas que geram a pobreza, como a violência e os abusos dos direitos humanos, que marginalizam as mulheres e as moças e impedem a sua plena participação na vida da comunidade. No Laos, por exemplo, onde a taxa de alfabetização feminina é muito baixa em relação à masculina, assim como as oportunidades de trabalho, as famílias em que está presente uma figura feminina são consideradas especialmente vulneráveis à pobreza e à violência. A Caritas Austrália intervém no país apoiando o parceiro local e favorecendo oportunidades de trabalho para as mulheres mais excluídas, oferecendo-lhes a possibilidade de mandar os próprios filhos à escola. Graças a esse programa reduz-se notavelmente a vulnerabilidade em relação à violência e à exploração de muitos jovens.
Na República Democrática do Congo, onde infelizmente a violência contra as mulheres está muito presente, a Caritas Austrália trabalha em parceria com a Caritas local, Caritas Goma, para garantir assistência sanitária e auxílio às vítimas de estupro. Em Samoa, através do projeto Women's Empowerment and Rehabilitation Caritas Goma dá apoio às mulheres por meio da formação de comitês locais para atividades de costura, artesanato e outras atividades que lhes permite obter uma renda. Desse modo, as mulheres melhoram a saúde, a alimentação e a educação da sua família. (AP) (9/6/2011 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network