http://www.fides.org

Dossiê

2004-10-02

Quadro geral e tabelas estatísticas

A população alemã, (82 milhões de habitantes) é formada em 91% de alemães, em 2.4% de turcos (1,9 milhões de cidadãos turcos imigrados e cerca de 600 mil cidadãos alemães de origem turca) e em 6.1% de outras cidadanias (especialmente sérvios, italianos, russos, gregos, poloneses e espanhóis). 34% da população é católica, 34% protestante, cerca de 4% é muçulmano, e aproximadamente 30% não têm religião declarada ou professa outros cultos. A Alemanha é um país cada vez mais multiétnico. Dúvidas, medos e ventos xenófobos não detiveram a entrada de estrangeiros, que aumenta mais a cada ano: de 1990 a hoje, mais de 3 milhões de estrangeiros foram acolhidos, mais do que o registrado nos Estados Unidos.

Na Alemanha, existem cerca de 2.500 mesquitas e 3 milhões e duzentos mil muçulmanos, dos quais 2,5 milhões são turcos ou de origem turca. De fato, dentre as comunidades estrangeiras presentes na Alemanha, a primeira em ordem de importância é a turca, seguida pelos migrantes dos países da ex-Iugoslávia. É o resultado publicado pelo “Statistisches Bundesamt”, Escritório Estatístico Federal, pra o qual, na Alemanha, a comunidade turca é dominante, com 1,88 milhões de pessoas, ou seja, 25,6% dos estrangeiros residentes no País. Seguem as 600 mil pessoas originárias dos Países da ex-Iugoslávia, que representam 8,2% dos 7,33 milhões registrados até o fim de 2003. Depois da comunidade iugoslava, situam-se os italianos (7,7%), os gregos (4,8%), poloneses (4,6%), sérvios e montenegrinos. Em relação à duração de sua permanência no País anfitrião, os italianos estão em quarto lugar, ao lado dos gregos, com 22 anos, precedidos pelos eslovenos (26 anos), espanhóis (25 anos), croatas e austríacos (23 anos) e turcos (19 anos). Entre os turcos residentes na Alemanha, 43,7% nasceu no País, percentagem que entre os italianos, cai para 11,5%.

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network