http://www.fides.org

Africa

2003-07-10

ÁFRICA/ETIÓPIA - “ESTA GENTE TEM NECESSIDADE DE ALGUÉM QUE FALE POR ELES”: DESESPERADO APELO DAS IR. SALESIANA DE ZWAY

Zway (Agência Fides) – “ O povo de Zway vive como NORMALIDADE a morte dos seus filhos. Neste ano de fome, de diferente há somente o número de mortos: alguns a mais. Encontramos um pai que havia perdido três filhos no último mês...”
As irmãs salesianas que vivem em Zway enviaram á Fides um desesperado apelo sobre a atual situação que atinge o País por causa da penúria. “Mais de 8.200 pessoas estão inscritas no Feeding Programme, conta-nos a Ir. Elisa e continuam a aumentar a medida em que a situação se agrava. Um grupo de “Médicos Sem Fronteiras” estão formando operadores para um Therapeutic Feeding Center (TFC) na cidade etíope, onde são tratadas crianças com sérios problemas de nutrição e que pesam menos de 70% do peso que deveriam. Uma pesquisa feita em 121.000 habitantes de Woreda resultou um notável aumento de crianças, todas abaixo do peso.
Infelizmente porém, o pior ainda não aconteceu, disse a ir. Elisa. “ A situação no País parece ainda agravar-se. De fato, o trigo semeado na região secou repetidamente. É preciso semear novamente tão logo comece a chover, mas não existem sementes. As estações longas de chuvas ainda não começou. E estamos já em atraso” – continua Ir. Elisa. “Esperamos, esperamos, mas sabendo que na metade mês de setembro a chuva termina, quando o trigo terá tempo para amadurecer? Se não chover, a crise da fome se agravará por outros doze meses!”
Ir. Inês, outras religiosa salesiana empenhada em Zway, conta sobre a visita feita ao famoso estudioso da Unicef, Sr. Michael Gordon, que estudou o novo protocolo usado nos casos de fome aguda que olhando para as crianças no TFC disse jamais ter visto casos daquela gravidade e seriedade na Etiópia. “Após termos percorridos juntos as vilas, continua Ir. Inês, Sr. Gordon disse que seria preciso um centro maior, que pudesse hospedar pelo menos 350-400 crianças por vez. A situação é já desesperadora, em poucos dias as 150 crianças gravemente desnutridas (peso abaixo dos 70% do ideal) poderia mais que dobrar...Se o governo não puder distribuir mais do que 25 Kg de trigo por mês para uma família de 6 a 8 pessoas, se a chuva não vier e o trigo não amadurecer...não sei o que poderá acontecer no futuro!”
Um outro problema urgente é o desmatamento que o povo nas vilas está realizando, cortando milhares e milhares de árvores...Vive do corte e da venda de árvores e carvão. “Vos pedimos de continuarem a estar juntos á nós nesta aventura, para enfrentar esta situação em que as pessoas morrem no silêncio. porque aqui é normal morrer em silêncio. Ontem, em uma vila, encontramos o mestre da escola de Kebele. Das 700 crianças que estão na escola, 2 estudantes morreram em uma semana; 5 crianças pequenas foram sepultadas e não se contam os recém-nascidos: para elas, basta uma fossa fora de casa. é como se nunca tivessem existido. Talvez a partir de outubro até hoje, morreram entre 12 a 15 naquela cidade. Estes são alguns dados recolhidos casualmente, parando o automóvel pela estrada e falando com o professor. A situação está resultando ser uma das mais graves do País. aqui, a 160 km de Addis Abeba, sobre a estrada principal do País...graças à vossa paciência, a vossa ajuda, o vosso apóio”, concluem as religiosas, convidando a todos a fazer alguma coisa a mais por estas mulheres e estas crianças.
(AP) (10/07/2003; Agência Fides; linhas: 42; palavras: 595)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network