http://www.fides.org

Africa

2004-06-18

ÁFRICA/RD CONGO - Para a Agência Fides, o dramático testemunho dos funcionários da Rádio Maria, a rádio diocesana de Bukavu atacada pelos rebeldes: “Nossa Senhora protegeu a sua rádio e a sua Igreja”

Bukavu (Agência Fides)- Durante a ocupação de Bukavu, a capital do sul de Kivu conquistada por alguns dias por rebeldes Banyamulenge (tutsi originários de Ruanda, que vivem no Congo há décadas), tinha sido atingida Rádio Maria Rainha da Paz, a rádio da Diocese. A Agência Fides ouviu de funcionários da Rádio Maria o seguinte dramático testemunho. “Faz tempo que a rádio diocesana de Bukavu se tornou o alvo preferido dos Banyamulenge. Faz meses que eles acusam a Rádio de ser conivente com o Pe. François Xavier Maroy, Vigário Geral, e o Senhor Didace Kaningini, da sociedade civil, por fomentarem ódio e o genocídio. Em comunicado, lido com ameaças para a rádio Mandeleo de Bukavu, o responsável da «mutuelle des Banyamulenge» de Bukavu, um tal de Senhor Kadage, tinha equiparado a «rádio diocesana, chamada rádio Maria Rainha da Paz» à nefasta rádio «Mille colline», do genocídio ruandês de 1994.
Em 2 de junho passado, sob o fogo dos morteiros, os soldados amotinados de Mutebusi tentaram atacar a sede da rádio situada na avenue Mbaki. Através dos testemunhos, pude, em certo sentido e não completamente, reconstruir os fatos. Estamos no tarde de 2 de junho de 2004. Desde a manhã, a cidade estava no caos, com os civis em fuga por todas partes.
Na Praça Nyawera, um grupo de soldados rebeldes começa a atacar a imagem de Dom Christophe Munzihirwa, assassinado na guerra de 1996. Foram disparados 17 tiros. Os verdadeiros testemunhos sempre incomodam, mesmo mortos ….
Os próprios soldados perguntam a um grupo de pessoas onde se encontra a sede da Rádio Maria. Pouco depois de 10 minutos, ouvem-se disparos provenientes da Avenue Mbaki. Enquanto alguns soldados tentam forçar a porta de entrada da rádio, outros procuram entrar pelas janelas, quebrando todos os vidros. Três tiros são disparados contra a manilha, que por milagre resiste.
Pessoalmente acredito em milagres. Vendo a quantidade de balas de pequeno e grande calibre, usados nas proximidades da Catedral de Bukavu e em toda a estrada Mbaki, o milagre é tangível. Nossa Senhora protegeu sua rádio e a sua Igreja”. (L.M.) (Agência Fides 18/6/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network