http://www.fides.org

Africa

2004-04-16

ÁFRICA/MOÇAMBIQUE - Morto em um acidente rodoviário o missionário xaveriano Padre Giuseppe Mauri: escola, doentes de Aids e animação missionária os empenhos aos quais se dedicava

Maputo (Agência Fides) - Padre Giuseppe Mauri, missionário xaveriano, faleceu na manhã de ontem, 15 de abril, em Moçambique, em decorrência de um acidente rodoviário. Padre João Bortoloci, responsável dos Xaverianos em Moçambique, confirmou a notícia. Por volta das oito horas da manhã, Padre Giuseppe estava indo de carro à capital, Maputo, quando se chocou com um ônibus e morreu instantaneamente. O missionário trabalhava em Moçambique, na missão de Chibututuine, gestida pela Fraternidade missionária de Piombino, fundada pelo xaveriano Padre Carlo Uccelli.
Padre Mauri, nascido em Ronco Briantino (Milão), tinha 51 anos. Entrou no seminário do Instituto Xaveriano em 1963, e foi ordenado sacerdote em 1980. De 1982 a 1989 foi missionário da República Democrática do Congo; sucessivamente trabalhou nas comunidades xaverianas da Grã-Bretanha, aonde foi também Superior. Há diversos anos estava em Moçambique, onde estava engajado na escola e em atividades de animação missionária.
Em uma de suas últimas cartas, Padre Mauri assim descrevia suas atividades: “Não escrevo há tanto tempo que quase não me lembro mais como fazê-lo. O motivo não é a falta de vontade, e nem porque não tenha coisas a contar. A causa é a falta de tempo. A escola me ocupa muito. Devo preparar e dar aulas, elaborar relatórios, corrigir os deveres, participar de reuniões... Nestes últimos meses também me dediquei a alguns doentes de Aids em fase terminal, com poucas semanas de vida. Os acompanho ao hospital, para realizar consultas e exames, e freqüentemente, vou visitá-los em suas casas. É doloroso chegar ao hospital e encontrar filas intermináveis e longas esperas. Às vezes me pergunto se vale a pena, mas penso que a consulta médica lhes dê a força para continuar a viver; pelo menos assim, não se sentem abandonados... Além de ajudar os doentes de Aids, me dedico à animação missionária. Organizamos um curso de formação para catequistas, ou melhor, para pessoas que querem se tornar catequistas. Durou uma semana, e participaram cerca de 30 pessoas: 4 adultos e 26 jovens, entre 16 e 22 anos. Entre estes, estava Lucia, uma menina de apenas 12 anos, mas inteligente e entusiasmada: quer ser catequista. Imaginem, há dois anos, todas as quartas-feiras, à tarde, Lucia vai a uma comunidade, a meia hora de caminho de sua casa, para ensinar cantos e ler o Evangelho para os analfabetos... É comovente e emocionante encontrar estes jovens que se afeiçoam ao Senhor com todas as suas forças. São adolescentes normais, com problemas da sua idade; na maioria, pobres e sós. Não possuem ninguém que os ajude. Mesmo assim, conseguem encontrar a força para trabalhar pelo Senhor, com entusiasmo, como só eles sabem fazer. É mesmo verdade que o Senhor está neles e os ajuda”. (S.L.) (Agência Fides 16/4/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network