http://www.fides.org

Africa

2004-03-24

ÁFRICA/CONGO - “Não posso calar diante da tragédia do meu povo” - diz Dom Mizonzo, Bispo de Nkayi

Brazzaville (Agência Fides)- “O povo tem fome, a miséria castiga todos os níveis sociais, e a Igreja não pode ficar muda diante dessa tragédia” - diz à Agência Fides Dom Daniel Mizonzo, Bispo de Nkayi e Presidente da Comissão Episcopal para a formação do clero e dos Seminários de Congo Brazzaville. A diocese de Nkayi se situa a 300 km a sul de Brazzaville e foi gravemente atingida pelas guerras civis de 1997 e de 1998-99. Dom Mizonzo lançou um apelo à solidariedade das Igrejas irmãs em sua viagem à Itália, França e Luxemburgo, apenas encerrada.
“Como Presidente da Comissão Episcopal para a formação do clero, dediquei minha viagem à Europa, primeiramente, a visitas a seminaristas, religiosas, religiosos e sacerdotes” - diz Dom Nkayi. “Aproveitei a ocasião para visitar os parceiros de minha diocese, que foi tão atingida pelos recentes conflitos, e para pedir ajuda”.
Essa foi a primeira viagem à Europa de Dom Nkayi desde sua ordenação, em Roma, em 6 de janeiro de 2002. “Depois da ordenação, permaneci em minha diocese. Nestes dois anos, compreendi profundamente os problemas de Nkayi, que são essencialmente econômicos. O povo sofre de fome, e a miséria atinge todos os níveis sociais. A Igreja não pode permanecer calada diante dessa tragédia. Por isso, encontrei-me com os parceiros tradicionais da diocese: Ajuda à Igreja que Sofre, Missio, Misereor e alguns dicastérios do Vaticano. Encontrei-me com alguns industriais do Norte da Itália, especializados na agricultura, porque não podemos esquecer que a minha diocese é a maior produtora de trigo do Congo. Promovemos diversos projetos de desenvolvimento para relançar o setor agro-alimentar. Trata-se de responder ao desafio do subdesenvolvimento, valorizando a agricultura em todos os níveis: paroquial, de seminário e de outras estruturas importantes da diocese”.
No futuro próximo, Dom Nkayi afirma querer promover a formação de sacerdotes, catequistas e leigos, “com o objetivo de planejar juntos a reconstrução da diocese”. Em seguida, a intenção é começar “uma reflexão sobre a vida econômica da diocese. Graças à ajuda de especialistas em desenvolvimento, examinaremos os problemas relativos ao orçamento e às atividades que podem gerar lucros”. - diz Dom Nkayi. (M.T.S.) (L.M.) (Agência Fides 24/3/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network