http://www.fides.org

Africa

2004-03-06

ÁFRICA - O drama de 2 milhões de refugiados e milhões de desalojados na África em discussão no encontro promovido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

Roma (Agência Fides) - Abre-se segunda-feira, 8 de março, o encontro “Diálogo sobre repatriação Voluntária e reintegração Sustentável na África”, organizado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).
A iniciativa, que se terá na sala XIX do Palais des Nations, em Genebra, reunirá representantes de 60 países, entre os quais ao menos 13 ministros de países africanos, altos funcionários de governos doadores e outros parceiros. Serão abordados os processos de paz que nos próximos anos darão oportunidades para a resolução das crises de refugiados na África. A evolução positiva destes processos poderia levar ao retorno à casa de quase dois milhões de refugiados e de muitos milhões de desabrigados internos (Internally Displaced Persons, IDPs). O encontro foi idealizado com a convicção de que está em ato um percurso resolutivo das questões sobre refugiados e desabrigados do continente. Será analisada a evolução positiva registrada em 9 países africanos (Angola, Serra Leoa, Libéria, Sudão, Eritréia, Somália, Burundi, Ruanda e República Democrática do Congo), que, juntos, contam mais de 5 milhões de refugiados e sem-casa. “O ACNUR acredita que a comunidade internacional deva desfrutar essa importante oportunidade para perseguir uma solução em longo prazo para tantas pessoas e assumir uma posição regional, para garantir a repatriação e a reintegração sustentável na África” - diz o comunicado enviado à Agência Fides. “O ACNUR está particularmente empenhado em convencer os delegados dos países de origem e de destino, os funcionários das agências humanitárias, os países doadores e outros parceiros a criar as condições necessárias para consentir que estes fluxos de retorno tenham um bom êxito e sejam sustentados”.
O Alto Comissário, Ruud Lubbers, abrirá o encontro. Seu pronunciamento será seguido por Poul Nielson, Comissário Europeu para desenvolvimento e Ajuda Humanitária; Julia D. Joiner, Comissária para Assuntos Políticos da União Africana; e Julia Taft, Assistente Administradora do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD). Kamel Morjane, Assistente do Alto Comissário para os Refugiados, encerrará os trabalhos. Vários Estados, agências das Nações Unidas, e parceiras, participarão da Conferência.
(L.M.) (Agência Fides 6/3//2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network