http://www.fides.org

Africa

2004-02-25

ÁFRICA/ÁFRICA DO SUL - “Que se leve em consideração a chaga das violências domésticas para formular a lei sobre o porte de armas.” Este é o pedido da Igreja Católica na África do Sul

Pretória (Agência Fides)- A Igreja na África do Sul lança um forte apelo para que se adote um texto mais restritivo da lei sobre a posse das armas em defesa da pessoa. Em comunicado enviado à Agência Fides, Pe. Peter-John Pearson e Felicity Harrison del Southern African Catholic Bishops’ Conference Parliamentary Liaison Office apóiam a apresentação de um certificado de boa conduta para aqueles que pretendem possuir legalmente uma arma. A norma foi introduzida ao texto da nova lei sobre posse de armas. “Na África do Sul, com seus altos índices de violência, a presença de armas de fogo serve somente para aumentar as tensões preexistentes, em muitos casos, com êxitos letais”, escrevem os redatores do comunicado.
Muitas das vítimas são mulheres, muitas vezes assassinadas pelos próprios maridos. A proposta de lei prevê exigir dos aspirantes possuidores de armas de fogo a apresentação de um documento, no qual declarem se são divorciados ou separados nos últimos dois anos e se foram denunciados por suas ex-mulheres por violência doméstica. Segundo o Southern African Catholic Bishops’ Conference Parliamentary Liaison Office, essas medidas não são suficientes porque “um recente estudo sobre o assassinato de mulheres na África do Sul demonstrou que somente 3% das mulheres assassinadas pelo próprio marido haviam denunciado o marido por violência doméstica”. Muitas mulheres, de fato, temem por suas vidas e de seus filhos se apresentarem denúncia contra o marido. Por esse motivo, o Parliamentary Liaison Office pede que seja revisada a formulação da lei e sugere que o módulo para a requisição de armas de fogo exija somente se os candidatos divorciaram ou se separaram nos últimos dois anos. (L.M.) (Agência Fides 25/2/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network