http://www.fides.org

Europa

2003-12-11

EUROPA/ITÁLIA - 121 MILHÕES DE CRIANÇAS SEM DIREITO, MAS AS PRINCIPAIS VÍTIMAS SÃO AS MENINAS: APRESENTADO PELO UNICEF O NOVO RELATÓRIO SOBRE A CONDIÇÃO DA INFÂNCIA NO MUNDO 2004 “CRIANÇAS, INSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO”

Roma (Agência Fides) - 121 milhões de crianças no mundo não frequentam a escola: 56 milhões de meninos e 65 milhões de meninas têm seu direito ao estudo violado. Das meninas que não vão à escola, 83% vivem na África subsaariana, na Ásia meridional e na Ásia oriental. Os dados mais recentes em nível mundial indicam que a inscrição e a frequência das meninas são inferiores a 85% em 70 países. Esses números estão contidos no relatório do Unicef sobre a condição da infância no mundo 2004, apresentado contemporaneamente, no dia 11, em Roma, Genebra e Cairo. A África subsaariana apresenta o maior índice de crianças em idade escolar que não frequentam a escola fundamental: 41 milhões em 1990 e 45 milhões em 2002; nesta região, o número de meninas que não frequentam a escola aumentou de 20 milhões em 1990 para 24 milhões em 2002.
Eis alguns dados sobre os índices de inscrição/frequência na escola fundamental (1996-2002): Total : 81%; países industrializados 97%; países em desenvolvimento 80%; países menos desenvolvidos 63%; África subsaariana: 59%; Ásia Meridional 74%; Oriente Médio e África do Norte 78%; ECO/CSI e Bálcãs 86%; Ásia Oriental e Pacífico 92%; América latina e Caribe 94%. A porcentagem das crianças inscritas que continuam a frequentar a escola fundamental (1996-2002) está assim subdividida: África subsaariana: 62% meninos, 57% meninas; Ásia Meridional 77% meninos, 71% meninas; Oriente Médio e África do Norte 81% meninas, 75% meninas; ECO/CSI e Bálcãs 88% meninos, 83% meninas; Ásia Oriental e Pacífico 93% meninos 92% meninas; América Latina e Caribe 95% meninos, 93% meninas; Mundo 83% meninos, 79% meninas.
Em relação ao ensino médio, com exceção do Butão, os países com o mais baixo número de inscrições femininas se encontram todos na África subsaariana; em Burkina Fasso, Burundi, Chade, Etiópia, Guiné, Níger, Somália e Tanzânia, a taxa de inscrição é inferior a 10%. Esta região tem poucas professoras, em alguns países chega a 25% do total; em 2/3 dos países árabes as mulheres representam menos da metade do corpo docente. Enquanto na América Latina/Caribe representam 80%.
(AP) (11/12/2003 Agência Fides; Linhas:32 Palavras:393)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network