http://www.fides.org

Africa

2003-12-03

ÁFRICA/ZIMBÁBUE - A MENSAGEM DE ESPERANÇA DOS BISPOS DE ZIMBÁBUE PARA O ADVENTO 2003, EM UM PAÍS VÍTIMA DA OPRESSÃO

Harare (Agência Fides) - “A mensagem de paz da ‘Pacem in Terris’ ainda é relevante nos dias de hoje”, afirmam os Bispos de Zimbábue em comunicado para o Advento 2003. Recordando como a encíclica do Bem-aventurado João XXIII, publicado dois anos depois da construção do muro de Berlim, símbolo de divisão entre os povos, os Bispos afirmam: “As divisões entre os povos continuaram, por motivos raciais, tribais, de ordem sexual, política, de classe e religiosa. Em Zmbábue, hoje, estamos experimentando os efeitos negativos de algumas dessas divisões”. “Os quatros pilares da paz que foram definidos por João XXIII, verdade, justiça, amor e liberdade, são fundamentais para a sociedade zimbabuense de hoje, onde o dom da paz se tornou raro”.
Por esse motivo, os Bispos propõem no período do Advento “realizar sérios esforços para corrigir os elementos que obstruem a paz. Na nossa sociedade, as crianças perderam a proteção, homens e mulheres vivem na opressão e na exploração. Por isso, pedimos às autoridades que criem imediatamente as condições para que paz, prosperidade e desenvolvimento possam ser realizados”.
Os Bispos recordam a responsabilidade dos meios de comunicação em custodiar a verdade: “Os meios de comunicação devem agir de modo profissional e devem receber as condições para isso, de modo que sejam responsáveis por aquilo que dizem e escrevem. Sua tarefa é informar de maneira correta, educar e divertir. Este objetivo foi esquecido no nosso país”.
No que se refere à justiça, os Bispos afirmam que “em Zimbábue, os pobres se tornam sempre mais pobres, enquanto os ricos se tornam sempre mais ricos. Os preços são impensáveis, a inflação está fora de controle e a falta de dinheiro constante consome o poder aquisitivo dos salários. Aqueles que têm o poder de corrigir esta situação devem agir agora. A justiça parcial não é verdadeira justiça e a justiça que chega com atraso é justiça negada”.
“Durante o Advento, pedimos aos nossos concidadãos para que ultrapassem a tolerância, e que aceitem a demanda de amor. O amor é o reconhecimento da humanidade do outro e da realidade de suas necessidades. Apesar das dificuldades econômicas, não se pode esquecer a nossa responsabilidade moral para com os mais pobres”, afirmam os Bispos.
Os Bispos, por fim, se concentram sobre a necessidade de liberdade: “Negar a liberdade é negar a dignidade das pessoas, significa desumanizá-las e tratá-las como subumanas”. Rezamos para que o povo de Zimbábue veja a luz e encontre a coragem para construir os pilares da paz”, concluem os Bispos. (L.M.) (Agência Fides 2003, Linhas 35 Palavras 426)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network