http://www.fides.org

Vaticano

2007-04-21

VATICANO - Examinar o caminho percorrido pelos “Fidei Donum”, para redefinir sua identidade no atual contexto missionário: um Congresso internacional há 50 anos da Encíclica de Pio XII

Cidade do Vaticano (Agência Fides) - Exatamente 50 anos atrás, em 21 de abril de 1957, o Santo Padre Pio XII publicava a Encíclica “Fidei Donum”, com a qual chamava à atenção dos Bispos e dos sacerdotes diocesanos as necessidades missionárias da África: a amplitude e a urgência dos problemas colocados à difusão e ao aprofundamento da fé naquela terra se confrontavam com uma forte carência de agentes pastorais e de meios. O Papa, portanto, exortava as Igrejas mais antigas a irem ao encontro das jovens Igrejas africanas com a oração, o sustento econômico e o envio de sacerdotes e religiosos diocesanos às terras de missão, convidando também os leigos inseridos nos movimentos católicos a desempenhar um serviço missionário. Nesses 50 anos, as Igrejas particulares, primeiramente aquelas mais antigas e nos tempos recentes também aquelas mais jovens, respondendo ao apelo de Pio XII enviaram sacerdotes e leigos de suas dioceses às outras Igrejas para a Missão Ad Gentes, em um movimento que abraça todo o mundo e não é unidirecional, da Europa aos outros continentes. Em meio século, viu a luz um novo sujeito missionário, que daquela Encíclica tomou o nome, ou seja, “Fidei Donum”, que da profunda reflexão provocada pelo Concílio Vaticano II contribuiu para traçar uma nova co-responsabilidade na missão da Igreja.
Para recordar o caminho dessas décadas, analisando luzes e sombras que o marcaram, a Pontifícia União Missionária (PUM) promove um Congresso internacional sobre os Fidei Donum intitulado “Todas as Igrejas para todo o mundo”, que se realizará na Fraterna Domus de Sacrofano (Roma), de 8 a 11 de maio. “Deste Congresso participarão dois representantes de cada Conferência Episcopal. O primeiro será o Bispo encarregado das Missões no âmbito da Conferência Episcopal, e o segundo será um Fidei Donum. Todos os conferencistas do Congresso fizeram experiência como Fidei Donum”, explica à Agência Fides o pe. Vito del Prete, PIME, Secretário-geral da Pontifícia União Missionária.
Prevê-se que os participantes sejam cerca de 350 pessoas, entre representantes das Conferências Episcopais, convidados e Diretores nacionais das Pontifícias Obras Missionárias de todo o mundo, que estarão em Roma para sua Assembléia Geral anual. “O Congresso - prossegue o pe. del Prete - foi precedido por outras iniciativas locais, congressos ou simpósios, que se realizaram nos meses precedentes em diversas nações, entre as quais Itália, Espanha, França, Polônia…”. Destacando as motivações do Congresso, o Secretário-geral da Pontifícia União Missionária precisa: “Hoje mudou radicalmente a modalidade de envio dos missionários. Sempre mais a evangelização se tornará efetiva responsabilidade das Igrejas locais que, no modelo eclesiológico de comunhão entre as Igrejas para a missão, enviarão seus membros (clero, religiosos, leigos) a outras Igrejas. Este caminho, iniciado pela ‘Fidei Donum’, foi desenvolvido pelo Concílio Vaticano II e pelo Magistério missionário pós-conciliar. É também o fruto do constante e longo trabalho de animação e formação realizado pelas Pontifícias Obras Missionárias e pelos Institutos missionários, que sempre chamaram todas as Igrejas para seu dever missionário. Somente desta maneira o mandato missionário não será mais efetivamente delegado a ordens e institutos missionários, que permanecerão sempre como expressão da radicalidade missionária da Igreja. O Congresso pretende chegar a conclusões que, esperemos, seja de natureza prática: repensar os Fidei Donum dando-lhes uma nova identidade que responda à nova realidade missionária, promover uma concreta comunhão entre as Igrejas e colocar as jovens Igrejas em condição de formar e enviar os próprios Fidei Donum”. (S.L.) (Agência Fides 21/4/2007)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network