http://www.fides.org

America

2003-12-01

AMÉRICA/GUATEMALA - O CARDEAL SEPE SE ENCONTRA COM AS CRIANÇAS DA INFÂNCIA MISSIONÁRIA E OS JOVENS: “VOCÊS SÃO OS JOVENS MISSIONÁRIOS DA JOVEM IGREJA, VOCÊS PODEM AJUDAR NA DIFUSÃO DO EVANGELHO NA AMÉRICA E EM TODO O MUNDO”

Cidade da Guatemala (Agência Fides) – Sábado, 29 de dezembro, o Card. Crescenzio Sepe, Enviado Especial do Santo Padre, encontrou as crianças da Pontifícia Obra da Infância Missionária. O Cardeal foi até Santa Catarina de Pinula, um centro que se encontra nas redondezas da capital, onde foi acolhido em um clima de autêntica festa por mais de 2.000 pessoas que lhe deram as boas-vindas, como relata à Agência Fides Pe. Victor Livori. O Prefeito, José Antonio Coro Garcia, entregou ao Cardeal a chave da cidade, e o Cardeal, por sua vez, doou ao Prefeito uma medalha comemorativa dos 25 anos de Pontificado de João Paulo II. Emocionado e comovido, o Cardeal disse que neste país “se sentia mais sacerdote, mais Bispo e mais Cardeal”.
Em seguida, o Enviado Especial dirigiu-se ao “Estádio Pinula” da cidade, onde em um clima de festa foi recebido por pelo menos 6.000 crianças que, com bandeiras nas mãos, gritavam: “Juan Pablo Secundo te quiere todo el mundo” (João Paulo II, todo o mundo o ama). O Card. Sepe respondeu: “Também o Papa os ama”. No seu discurso, o Cardeal agradeceu as crianças “pela alegria, pela presença, e principalmente por seu empenho missionário na Igreja na Guatemala e em toda a América”, e destacou a importância do momento, “que pode mudar a face da Igreja na América”. Nos primeiros séculos do Cristianismo, as crianças ajudaram as Igrejas das catacumbas a difundir o Evangelho de Jesus: o primeiro foi S. Tarcísio, que ofereceu sua vida pela Eucaristia, recordou o Cardeal. No Japão, também foram as crianças a ensinar a língua local a S. Francisco Xavier e algumas delas o acompanharam na sua pregação. Três crianças mexicanas (Cristobal, Antonio e Juan) foram as primeiras a acolher o anúncio do Evangelho na América Latina e ofereceram a própria vida para que se difundisse em todo o Continente. “A Igreja necessita do espírito infantil – disse ainda o Cardeal Sepe -. Passaram-se 160 anos desde quando a Igreja confiou às crianças a missão de salvar as crianças do mundo... Hoje, mais do que nunca, o mundo precisa de vocês, a partir do momento que o sofrimento das crianças sobre a Terra aumenta sempre mais”.
O Card. Sepe confiou então às crianças a missão de “abrir um caminho em direção à luz” para as adultos que perderam a fé: “Vocês são os jovens missionários da jovem Igreja, vocês podem ajudar a difundir o Evangelho nesta terra americana e em todo o mundo”, seguindo o exemplo de Santa Teresa, que com nove anos pertencia à Infância Missionária, e com 14 anos consagrou a sua vida a Deus.
Na tarde de sábado, o Enviado Especial do Santo Padre participou ainda do encontro com os Jovens Missionários Americanos. Padre Carlos Navarrete, responsável pela Liga Juvenil Missionária do México, pronunciou um discurso sobre a missão dos jovens na América e sobre seu empenho por Cristo. Foi apresentado uma “declaração” dos jovens que participaram do Congresso, na qual pedem mais acolhimento e participação na pastoral missionária da Igreja. Em seguida, falou o Cardeal Sepe, que assim se dirigiu aos jovens: “a presença de vocês recorda-me milhares de missionários que durante os séculos passados se espalharam pelos cinco continentes... Hoje, a Igreja na América se prepara a renovar o milagre da Missão com o novo vigor de sua santidade”.
“A Missão não é fruto de um sentimento ou de um entusiasmo passageiro, nem mesmo se torna missionário de modo improvisado”, recordou o Cardeal, mas exige uma longa preparação e amadurecimento. “Caros jovens, a missão é a sua vocação, a Igreja precisa de vocês para estar presente na sociedade e expandir-se no mundo inteiro.” Não se trata de uma tarefa fácil no mundo contemporâneo, impregnado por uma cultura materialista e hedonista, que esvazia a mensagem cristã de seu conteúdo para torná-lo inofensivo. O chamado à Missão é, no entanto, chamado a um caminho de santidade: “Não se pode ser missionário se não se é santo”, recordou o Cardeal, convidando os jovens a serem “fiéis sentinelas da evangelização do Terceiro Milênio”.

http://www.fides.org/ita/photo_attualita/index_cam2.html
(S.L.) (Agenzia Fides 1/12/2003; Righe 52; Parole 731)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network