http://www.fides.org

Dossiê

2006-11-11

Instrumentum mensis Octobris pro lectura Magisterii Summi Pontifici Benedicti XVI pro evangelizatione in terris missionum

No mês de outubro, foi celebrado em todo o mundo o 80° Dia Mundial da Missão. «Este Dia - recordou o Santo Padre Bento XVI durante o Angelus de domingo, 22 de outubro - foi instituído pelo Papa Pio XI, que deu um forte impulso às missões ad gentes, e com o Jubileu de 1925 promoveu uma grandiosa exposição que depois se tornou a actual Colecção Etnológico-missionária dos Museus do Vaticano. Este ano - continuou Bento XVI -, na habitual Mensagem para essa celebração, propus como tema "A caridade, alma da missão". De facto, a missão, se não for animada pelo amor, reduz-se a uma actividade filantrópica e social. Para os cristãos, ao contrário, são válidas as palavras do apóstolo Paulo: "O amor de Cristo nos impulsiona" (2 Cor 5, 14). A caridade que moveu o Pai a enviar o seu Filho ao mundo, e o Filho a oferecer-se por nós até à morte de cruz, aquela mesma caridade foi derramada pelo Espírito Santo no coração dos crentes. Cada baptizado, como ramo unido à videira, pode assim cooperar para a missão de Jesus, que se resume nisto: levar a cada pessoa a boa nova de que "Deus é amor" e, precisamente por isso, quer salvar o mundo».
A missão, explicou o Papa, parte do coração: « quando nos detemos a rezar diante do Crucificado - disse sempre no domingo, 22 de outubro - , com o olhar dirigido para aquele lado trespassado, não se pode deixar de experimentar dentro de si a alegria de se sentir amados e o desejo de amar e de se fazer instrumento de misericórdia e de reconciliação».
Quinta-feira, 19 de outubro, o Santo Padre foi até Verona, onde se celebrava o quarto Congresso nacional da Igreja italiana. O Papa proferiu um discurso dentro da Feira e, à tarde, celebrou a Santa Missa no estádio Bentegodi. No seu discurso, o Santo Padre falou de missão, de «uma obra de evangelização» que «nunca é um simples adaptar-se às culturas, mas é sempre uma purificação, um corte corajoso que se torna amadurecimento e restabelecimento, uma abertura que permite nascer àquela “criatura nova” (2Cor 5,17; Gl 6,15), que é fruto do Espírito Santo».

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network