http://www.fides.org

America

2003-11-20

AMÉRICA/GUATEMALA - CRIANÇAS E JOVENS TAMBÉM PROTAGONISTAS DA EVANGELIZAÇÃO: “A INFÂNCIA MISSIONÁRIA NA AMÉRICA LATINA É UMA REALIDADE CONCRETA QUE ANIMA PARÓQUIAS, MOVIMENTOS E ESCOLAS”, AFIRMA IR. MARIA TERESA CRESCINI, ÀS VÉSPERAS CONGRESSO MISSIONÁRIO AMERICANO

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – “A infância Missionária na América Latina mostra aos adultos a capacidade de engajamento das crianças e cria um movimento de oração e de solidariedade realmente surpreendente.” Quem o afirma é Ir. Maria Teresa Crescini MPV, do Secretariado Geral das Pontifícias Obras Missionárias, a quem a Agência Fides dirigiu algumas perguntas sobre a participação das crianças e dos jovens no Segundo Congresso Missionário Americano (CAM 2), que se realiza de 25 a 30 de novembro em Cidade da Guatemala.

Qual o papel das crianças e dos jovens no trabalho missionário da Igreja na América Latina?
A Pontifícia Obra Missionária da Infância na América Latina é uma realidade concreta, que anima as paróquias, os movimentos e as escolas. Mostra aos adultos a capacidade de engajamento das crianças e cria um movimento de oração e de solidariedade realmente surpreendente. Este é o motivo pelo qual, nos últimos anos, uma das preocupações da Igreja latino-americana foi a de envolver na sua missão evangelizadora também os mais jovens. A eles, a Igreja pede que sejam missionários de seus coetâneos e que transmitam aquela riqueza de fé que receberam como dom. E eles recebem essa missão com seriedade e a realizam não somente entre eles, mas muitas vezes também entre os adultos que perderam a fé.
O caráter missionário dos jovens em alguns países latino-americanos está rendendo também frutos de vocações missionárias. Muitos seminaristas, religiosos e religiosas amadureceram sua vocação dentro da Infância Missionária. Hoje, podemos afirmar que a Obra da Infância Missionária na América Latina tem um grande valor pastoral: em cada Congresso Missionário, as crianças são protagonistas, e se prepara para elas um programa sob medida, para levar ao Congresso o frescor típico da fé entusiasmada e criativa dos jovens.

Quantos jovens da Infância Missionária estarão presentes no Segundo Congresso Missionário Americano?
No CAM 2 estarão presentes cerca de 300 crianças e adolescentes de toda a América. Poderiam ser mais numerosos, mas por falta de espaço, a Comissão se limitou a esse numero. Nas Igrejas locais, no entanto, as crianças participaram da preparação com a seriedade e o entusiasmo que os diferencia.

Em que modo serão organizadas as atividades dos jovens?
A Comissão organizadora do CAM 2 deu a cada Centro Temático o nome de um Santo ou de um Bem-aventurado da América. Para os jovens, foram escolhidas três crianças: “os mártires de Tlaxcala” (Cristobal, Antonio e Juan), proclamados bem-aventurados por João Paulo II no dia 6 de maio de 19990, na Basílica de Guadalupe, no México. O Centro Temático das crianças terá sede na Escola católica de “San José de los Infantes”, que colocou à disposição, durante toda a semana, não somente sua estrutura, mas também os funcionários da escola.
Os jovens serão divididos por idade em seis grupos de 33 crianças cada um, e três grupos de 34 jovens, de todas as nacionalidades. No total, portanto, serão nove grupos, cada um com o seu coordenador. Os coordenadores provêem da Nicarágua, El Salvador, Panamá, Honduras, Costa Rica e Guatemala.

Qual o programa de atividades previsto para eles?
Para todos os participantes do CAM 2 foi organizado um programa escrupulosamente detalhado para cada dia. Para as crianças e adolescentes da Infância Missionária foi preparada uma catequese adequada sobre as três crianças mártires de Tlaxcala. Naturalmente, para os jovens, foi estudada uma metodologia quem tem como objetivo a harmonia entre as culturas, o conhecimento das situações e a orientação para servir a Igreja na sua missa evangelizadora.
Cada dia de trabalho, como prevê o programa geral, será dedicado a um Continente. A cada dia, esta prevista a exposição do tema, a reflexão pessoal e de grupo, a expressão lúdica e a oração. A semana de 25 a 30 de novembro será “uma semana de cores”, na qual os valores da missão serão comunicados aos jovens como um mosaico, do qual deve emergir a urgência da missão evangelizadora da Igreja e a confiança que a própria Igreja deposita nas crianças.

Haverá momentos especiais nos quais o Congresso se concentrará no empenho missionário das crianças e dos jovens?
Sábado, 29 de novembro, será dedicado completamente à Infância e à Adolescência Missionária. No grande Auditório será realizada a festa de encerramento dos 160 anos de fundação da Pontifícia Obra da Infância Missionária. O Cardeal Crescenzio Sepe, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos e Representante do Santo Padre no CAM 2, vai encontrar os jovens, seja aqueles que participam do Congresso, como os outros que quiserem vir: estão previstos pelos menos 10 mil jovens. A eles, o Cardeal vai dirigir uma saudação, um encorajamento e confiará o “Mandato Missionário” para que a força da “Missão jovem” anuncie ao mundo inteiro a Boa Nova. Haverá danças, musicas, como manda a tradição e como deve ser, para que a festa seja completa. (R.Z.) (Agência Fides 20/11/2003

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network