http://www.fides.org

Asia

2003-11-14

ÁFRICA/LIBÉRIA - A IGREJA PELO DESARMAMENTO DAS MILÍCIAS LIBERIANAS. AINDA REGISTRAM-SE CONFRONTOS EM DIVERSAS REGIÕES DO PAÍS

Monróvia (Agência Fides) – A Igreja Católica na Libéria apóia o processo de desarmamento das milícias locais e, por este motivo, pediu para ser representada no âmbito da Comissão Nacional de Desarmo, Desmobilização e Reinserção (DDR).
“A Igreja já deu início a uma campanha de sensibilização para este problema”, afirmam à Agência Fides as Missionárias da Consolata em Harbel, que se encontra a 50 km ao sul de Monróvia. “Domingo passado, 9 de novembro, o pároco de Harbel, durante a homilia, dirigiu um apelo aos jovens para que deponham as armas, destacando a necessidade de pôr fim à violência e olhar para o futuro. A força de paz das Nações Unidas anunciou que no dia 7 de dezembro vai iniciar a recolher as armas.”
O Conselho das Igrejas da Libéria publicou um comunicado em que afirma a necessidade de melhorar rapidamente a segurança no país porque a “paz ainda é frágil”. Pede-se ainda ao governo de transição de Gyude Bryant, que garanta o respeito do Estado de direito, dos direitos humanos, da transparência e do bom governo.
A paz aparenta fragilidade, como confirmam as Missionárias da Consolata à Agência Fides: “Três dias atrás em Buchanan, a 90 km de Monróvia, houve uma dura batalha entre os guerrilheiros do MODEL (Movimento pela Democracia na Libéria) e as forças ainda leais ao Ex-presidente Charles Taylor, segundo anunciava a rádio local. Alguns habitantes da cidade informaram às Missionárias que se tratou de um confronto interno do MODEL, sobre a distribuição de alimentos à população. Durante os confrontos, veículos de Organizações não-governamentais, que ajudam os habitantes locais, foram roubados. A calma foi restabelecida na cidade, mas a violência pode explodir a qualquer hora, porque os rebeldes do MODEL acusam os partidários de Taylor de terem sequestrado nove membros de sua organização”.
“A situação no interior do país é ainda pior”, referem as missionárias. “As situações mais difíceis estão nas regiões de Nimba e de Grand Gedeh, onde inteiros vilarejos foram destruídos. Na primeira região, são principalmente os membros do MODEL a semear morte e destruição, enquanto em Grand Gedeh, são os membros do LURD (Liberianos Unidos pela Reconciliação e a Democracia) a agirem”.
As Missionárias da Consolata continuam a prestar assistência aos leprosos de Ganta (Nimba) apesar do perigo na região (L.M.) (Agência Fides 14/11/2003 linhas 37 palavras 420)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network