http://www.fides.org

Dossiê

2006-07-08

INSTRUMENTUM MENSIS IUNII PRO LECTURA MAGISTERII SUMMI PONTIFICI BENEDICTI XVI, PRO EVANGELIZATIONE IN TERRIS MISSIONUM

O mês de junho se abriu para o Santo Padre Bento XVI com um compromisso significativo: o encontro na praça S. Pedro com os Movimentos Eclesiais e as novas Comunidades. Uma audiência que depois de oito anos - a última reunião dos movimentos foi em 1998 com João Paulo II - viu a participação de centenas de milhares de pessoas de todas as partes do mundo, que lotaram a praça São Pedro e também a “via della Conciliazione”. Durante a celebração das primeiras Vésperas da Solenidade de Pentecostes, o Papa Bento XVI fez uma longa e profunda catequese centralizada sobre o tema do Espírito de Deus, sobre a sua presença no mundo, que se evidenzia também com o nascimentos de tantos movimentos eclesiais, e sobre o viver uma vida sem levar isso em consideração.
O Papa Bento XVI citou várias vezes diversos trechos evangélicos, e entre estes o famoso texto do “Filho pródigo”. Como o filho dissipador, que fugiu de sua família com a sua parte de herança em busca da liberdade, mas que acabou por governar os porcos, assim a humanidade corre o mesmo risco se não colocar objetivos e limites a esta justa aspiração. « Onde já não corre a verdadeira fonte da vida, onde o homem somente se apodera da vida em vez de a entregar - disse o Papa fazendo o exemplo do aborto, da supressão voluntária da vida nascente - , ali está em perigo também a vida dos outros; ali está-se disposto a excluir a vida inerme nascitura, porque ela parece tirar espaço à própria vida. Se quisermos proteger a vida - insistiu o Pontífice -, então temos que voltar a encontrar sobretudo o manancial da vida». Bento XVI, que definiu os movimentos como associações «pela vida», pediu a essas novas realidades que continuem a defender a vida e a trabalhar unidos na única missão da Igreja.
O mês de junho se concluiu com a Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, durante a qual, segundo a tradição, o Santo Padre impôs o Pálio a alguns Arcebispos Metropolitanos nomeados recentemente. A celebração foi também uma ocasião para renovar o compromisso pela causa do ecumenismo, como reiterou o Santo Padre acolhendo a Delegação do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, presente em Roma para a Festa.

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network