http://www.fides.org

Africa

2003-11-10

ÁFRICA/UGANDA - O DRAMA ESQUECIDO DE KARAMOJA: INSEGURANÇA CRESCENTE POR CAUSA DAS INÚMERAS ARMAS EM CIRCULAÇÃO

Campala (Agência Fides) – Não é somente a guerrilha do LRA (Exército de Libertação do Senhor) a matar e espalhar a insegurança nas estradas ugandenses. Se o LRA semeia o terror, sobretudo no distrito do Norte, um drama esquecido e ignorado por todos acontece na região de Karamoja, nordeste de Uganda, onde assaltos e roubos nas estradas são fatos corriqueiros.
“Esta sempre foi uma região difícil por causa das disputas entre criadores de gado”, afirma à Agência Fides um missionário que atua na região. O roubo de gado é uma tradição secular por essas bandas: os criadores Karamoja roubam o gado um do outro. Mas até pouco tempo atrás, estavam armados somente com os instrumentos tradicionais da ofensa, mas agora têm à disposição armas de fogo em grande quantidade”.
A crescente disponibilidade de armas leves em Karamoja deriva da decisão do Exército de distribuir armas à população civil depois que o LRA realizou um série de ataques na região. “O Exército deu início a um plano de desarmamento que foi suspenso e substituído por um programa para a distribuição de armas à população para a garantir sua autodefesa”, afirma o missionário. Segundo fontes do Exército, antes da suspensão, o programa havia permitido recuperar cerca de 10 mil armas de fogo.
“A decisão de rearmamento da população de Karamoja foi como jogar lenha na fogueira: ao invés de se defender do LRA, os criadores utilizam as novas armas para intensificar as lutas tribais e os saques recíprocos”, comenta o missionário. “Por detrás dos confrontos tribais e dos roubos, há também manobras administrativas locais sem escrúpulos que aproveitam da confusão para enriquecer”, afirma um outro missionário a Fides.
Agora procura-se recuperar as armas distribuídas à população. “Em troca de um fuzil, as autoridades doam um pouco de alimento, mas é difícil que a maior parte dos criadores de Karamoja aceite essa troca, porque o governo ugandense não pode agir além da fronteira, onde se encontram várias tribos da mesma etnia, bem armadas, que realizam roubo de gado em território ugandense. Para que seja eficaz, o programa de desarmamento deve envolver também os criadores Karamonje que vivem no Quênia e no Sudão”, afirma o missionário.
A tentativa de recuperar as armas pode ser também muito perigosa. Segundo fontes da Agência Fides, na semana passada, dezenas de soldados governamentais e membros de uma milícia de colaboração foram mortos por membros de uma tribo durante uma missão de desarme. (L.M.) (Agência Fides 10/11/2003 linhas 35 palavras 426)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network