VATICANO - “26,7% dos centros de cura de HIV/AIDS no mundo são católicos. A Igreja católica continua a dar a sua contribuição na prevenção e na assistência aos doentes de HIV/AIDS e suas famílias, no âmbito médico-assistencial, social, espiritual e pastoral”. Mensagem do Cardeal Javier Lozano Barragán, Presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde, para o Dia Mundial de combate à AIDS

Quarta, 30 Novembro 2005

Cidade do Vaticano (Agência Fides) - “O Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde se une às instituições e organizações nacionais e internacionais, e, em particular, à UNAIDS, que organiza a cada ano uma campanha mundial de combate à AIDS, para que a este mal planetário, que provocou uma crise global, se possa responder com uma ação igualmente global e uníssona”. Assim, o Presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde, Cardeal Lozano Barragán, escreve em sua mensagem para o Dia Mundial de combate à AIDS.
“A Igreja católica continua a dar a sua contribuição na prevenção e assistência aos doentes de HIV/AIDS e suas famílias, no plano médico-assistencial, social, espiritual e pastoral. 26,7% dos centros para a cura do HIV/AIDS no mundo são católicos. São muitos os projetos e programas de formação, prevenção e assistência, cura e acompanhamento pastoral dos doentes, administrados com amor, responsabilidade e espírito de caridade por igrejas locais, institutos religiosos e instituições de leigos.
Concretamente, com base nas informações de diversas Igrejas locais e instituições católicas no mundo, as ações realizadas no campo da AIDS podem ser esquematizadas da seguinte maneira: promoção de campanhas de sensibilização, programas de prevenção e educação sanitária, manutenção de órfãos, distribuição de medicamentos e alimentos, assistência domiciliar, instituição de hospitais, comunidades terapêuticas, colaboração com governos, atenção em cárceres, cursos de catequese, elaboração de sistemas de ajuda através da Internet, instituição de grupos de apoio ao doente.
O Cardeal conclui sua mensagem com as palavras dirigidas pelo Papa Bento XVI aos Bispos da África do Sul, em visita “Ad Limina”, em 10 de junho de 2005: “Irmãos Bispos, compartilho a sua profunda preocupação pela devastação causada com o vírus da AIDS e pelas doenças a ela relacionadas. Rezo, em especial, pelas viúvas, pelos órfãos, pelas jovens mães e pelas pessoas cujas vidas foram reduzidas a migalhas por esta epidemia tão cruel. Exorto a prosseguir seus esforços para combater este vírus que não apenas mata, mas ameaça seriamente a estabilidade econômica e social do continente”. (AP) (30/11/2005 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network