ÁSIA/COREIA DO SUL - Um bispo representa a Coreia na celebração dos 70 anos de relações diplomáticas com a Santa Sé

Terça, 23 Maio 2017

Seul (Agência Fides) – Coreia e Santa Sé celebram em 2017 os 70 anos do início do processo de instituição das relações diplomáticas: de modo especial, comemora-se o envio do primeiro Delegado apostólico permanente da Santa Sé na Coreia. Como apurado pela Fides, para a ocasião, o novo presidente coreano Moon Jae-in pediu ao arcebispo Igino Kim Hee-Jung, que é presidente da Conferência Episcopal da Coreia, que representasse toda a nação coreana e encontrasse o Santo Padre para celebrar este aniversário.
Depois de sua posse da presidência, ocorrida logo depois das eleições, o presidente Moon designou alguns "convidados especiais" coreanos que irão aos Estados Unidos, China, Japão, Rússia, União Europeia, Alemanha e Santa Sé para celebrar eventos especiais nestes Estados e organismos. Na missão especial no Vaticano, prevista nos próximos meses, o Arcebispo Kim Hee-Jung será acompanhado por Seong Youm, ex-embaixador da República da Coreia junto à Santa Sé.
As ligações entre Santa Sé e Coreia começaram em 1947 quando o Papa Pio XII enviou à Coreia o primeiro “Delegado apostólico”, Pe. Patrick James Byrne, logo depois da libertação da Coreia do domínio japonês. Enviando um “Delegado permanente”, a Santa Sé foi um dos primeiros países a reconhecer a Coreia como nação independente, depois da libertação da colonização japonesa. Patrick James Byrne, missionário americano dos Padres de Maryknoll, foi consagrado bispo em 1949, mas quando estourou a guerra da Coreia, em 1950, foi sequestrado e morreu na prisão. Agora faz parte do grupo dos 213 entre sacerdotes e leigos coreanos para os quais teve início o processo de beatificação.
Naqueles anos, o Governo da Coreia do Sul enviou uma delegação à conferência de Paris em 1948 para ser reconhecido como Governo da península coreana. Naquele tempo, a Santa Sé e o Núncio Apostólico em Paris (o então Angelo Roncalli que depois se tornou Papa João XXIII) ajudaram muito a delegação coreana a obter o reconhecimento de muitas delegações dos países católicos.
As relações diplomáticas entre Santa Sé e Coreia foram formalizadas oficialmente, depois, em dezembro de 1963 com o envio do Encarregado de assuntos, depois Núncio a partir de setembro de 1966. (PA) (Agência Fides 23/5/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network