ÁSIA/PAQUISTÃO - Líderes cristãos de Lahore: “Deter a pregação de ódio inter-religioso na TV”

Segunda, 8 Maio 2017 islã   terrorismo   sociedade civil   comunicações sociais   redes sociais   diálogo   ecumenismo  

Lahore (Agência Fides) - Foram condenadas fortemente as palavras de ódio anticristão proferidas na televisão paquistanesa e feito um convite a deter a campanha de difamação que incita à violência contra as minorias religiosas. É o que afirma a Comissão para a solidariedade ecumênica de Lahore que reúne líderes cristãos de várias denominações presentes no território, membros da Igreja anglicana, presbiteriana e católica.
Segundo Fides, a Comissão deplorou recentemente as transmissões televisivas, artigos de jornais e mensagens nas redes sociais que difundem desprezo e humilham os cristãos paquistaneses. A Comissão decidiu escrever uma carta oficial às autoridades governamentais e ao empresário Amar Mehmood, proprietário do canal de televisão “TV Dunyia”, onde certos personagens públicos, como convidados, proferiram repetidamente palavras e argumentos difamatórios contra os cristãos. “Esta onda de ódio será levada ao conhecimento das autoridades superiores”, disseram os líderes cristãos da Comissão.
Em particular, eles deploram a novela "Baji Irshad" que tem como protagonista uma mulher cristã que trabalha como empregada doméstica na casa de uma família muçulmana rica. A série de TV, na mente dos autores, pretendia enfatizar a diferença de classe social e a lacuna existente na sociedade paquistanesa entre ricos e pobres, mas acaba, no entanto, alimentando estereótipos e discriminação de casta que hoje “desmoralizam e humilham os cidadãos cristãos”, disse ele.
Outra questão debatida na Comissão foi o delicado tema da blasfêmia: partindo do recente homicídio do estudante muçulmano Mashal Khan, na Universidade de Mardan, vítima de falsas acusações de blasfêmia, os líderes muçulmanos reiteraram a urgência de deter o abuso e a instrumentalização da lei da blasfêmia, que já atingiu injustamente milhares de muçulmanos, cristãos e hindus, que estão encarcerados, como diz à Fides o padre Inayat Bernard, membro da Comissão. O sacerdote relata à Fides um episódio como exemplo: a muçulmana Noreen Laghari, militante do Estado islâmico, confessou que estava programando um atentado com o objetivo de matar pelo menos 50 cristãos no dia da Páscoa. Foi presa e somente graças às eficazes medidas adotadas pelo governo de Punjab para garantir a segurança nas Igrejas, uma tragédia foi evitada. A questão è: “Ela será tratada com os mesmos critérios adotados para manter na prisão a inocente Asia Bibi?”.
Os líderes cristãos colheram a ocasião para rezar pelos cristãos em todo o mundo, especialmente por seus irmãos no Iraque, na Síria, Afeganistão e Paquistão e para agradecer a Deus pela fecunda viagem do Papa ao Egito, que reforça os caminhos do diálogo islâmico-cristão. (PA) (Agência Fides 8/5/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network