ÁFRICA/MOÇAMBIQUE - “Recursos africanos depredados por estrangeiros; ignoradas as exigências das populações locais”: denúncia dos Bispos

Sábado, 6 Maio 2017 land grabbing   bispos  

Maputo (Agência Fides)- “Os governos dos países industrializados tentam encontrar na África uma solução para a crise energética e alimentar mundial sem tentar, porém, ir ao encontro dos problemas dos africanos”, denuncia a Conferência Episcopal de Moçambique, numa carta pastoral dedicada ao tema do desenvolvimento
Entre os recursos africanos que foram transferidos para o exterior, estão as terras cultiváveis.
“Entre 2000 e 2013, 56 milhões de hectares de terra africana foram vendidos ou concedidos em gestão a estrangeiros”, afirmam os bispos.
A exploração considerável dos recursos dos países africanos corre o risco de dilapidar os meios de sustento e desenvolvimento das populações locais, afirma o documento.
Um fenômeno que tem um impacto forte em Moçambique, onde 70% da população vive ainda no âmbito rural. “A falta de conhecimento do direito à terra obriga as comunidades locais a abandonar as próprias terras favorecendo assim os investidores privados”, escrevem os bispos. Consequentemente, o modelo de “agricultura familiar” é destruído e “em todas as províncias de Moçambique se verificam conflitos agrários causados pelo início de projetos enormes da parte das grandes empresas”.
Os bispos concluem sublinhando que chegou a hora de procurar novamente “modelos locais de desenvolvimento” que sejam “autênticos e justos, e estratégias globais a fim de que a Terra seja um bem “a serviço de todos”. (L.M.) (Agência Fides 6/5/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network