AMÉRICA/VENEZUELA - Novos confrontos, Maduro anuncia uma Assembleia Constituinte. Garantias para uma intervenção da Santa Sé

Terça, 2 Maio 2017

Seja evitada qualquer nova forma de violência; sejam respeitados os direitos humanos e se busquem soluções negociadas para a grave crise

Roma (Agência Fides) - “Continuam a chegar notícias dramáticas sobre o agravamento dos confrontos, com numerosos mortos, feridos e presos. Uno-me à dor dos familiares das vítimas, a quem asseguro orações, e faço um forte apelo ao Governo e a todas as componentes da sociedade venezuelana a fim de que seja evitada qualquer nova forma de violência; sejam respeitados os direitos humanos e se busquem soluções negociadas para a crise humanitária, social, política e econômica que está castigando a população” : são as palavras do Santo Padre Francisco no Regina Coeli de 30 de abril. Retornando de sua viagem ao Egito, em 29 de abril, conversando no avião com jornalistas, em relação a uma nova intervenção da Santa Sé, o Papa disse: “Penso que se deve realizar, mas sob condições, condições muito claras. Tudo o que puder ser feito pela Venezuela será feito, mas com as garantias necessárias”.
No momento, segundo informações recebidas pela Fides, o Presidente Nicolas Maduro anunciou querer convocar uma “Assembleia Constituinte do povo”, para reformar a estrutura jurídica do Estado e “conduzir nosso país à paz”. A medida é considerada como golpista pela oposição, que pede eleições livres para colocar fim no regime político de Maduro.
A nível internacional, oito países da região (Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Peru, Paraguai, Uruguai e Brasil) pediram a restituição dos poderes ao Parlamento e a libertação dos prisioneiros políticos que manifestaram contra o Governo de Maduro. “É essencial ter claro as condições por uma solução negociada da crise política, econômica e humanitária neste país irmão”, lê-se na declaração conjunta desses países. (CE) (Agência Fides, 02/05/2017)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network