ÁFRICA/MALI - Passados dois meses do sequestro, não há notícias da Ir. Glória Cecília, embora quatro pessoas tenham sido acusadas

Sexta, 7 Abril 2017 sequestros  

Bamako (Agência Fides)-“Onde está nossa Ir. Glória? Quem são seus sequestradores? E quem são os que a detém ainda hoje?” São as perguntas que se fazem os responsáveis pela “célula de comunicação” da diocese de Karangasso, dois meses depois do sequestro da Ir. Glória Cecília Narváez Argoty, a religiosa colombiana da Congregação das Irmãs Franciscanas de Maria Imaculada sequestrada em 7 de fevereiro em Karangasso, no sul do Mali (veja Fides 8/2/2017).
O comunicado supõe que a religiosa foi transferida pelos seus sequestradores a outro grupo que agora a mantém sob custódia.
A diocese lamenta ainda de ter sido informada “pela imprensa”, em 3 de abril, de que quatro pessoas foram formalmente acusadas de sequestro. Trata-se do cozinheiro da paróquia (“há 30 anos a serviço das freiras”), de dois motoristas da ambulância do dispensário católico e de um paroquiano de Karangasso.
“Apesar desses fatos, permanecem as perguntas sobre o paradeiro da Ir. Glória Cecília e sobre quem a mantém prisioneira”, afirma o comunicado.
A diocese convida todos a intensificarem a oração pela libertação da religiosa. Os Bispos do Mali convocaram hoje uma novena em todas as dioceses do país” para confiar a Ir. Glória e os seus sequestradores à proteção do Senhor”. (L.M.) (Agência Fides 7/4/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network