AMÉRICA/HAITI - Seis meses após o furacão, prossegue o compromisso com as pessoas com deficiências

Terça, 4 Abril 2017

CBM

Milão (Agência Fides) – Passaram-se seis meses desde que o furacão Matthew passou pelo Haiti, causando a mais grave emergência humanitária no país depois do terremoto de 2010. A situação permanece ainda hoje muito difícil. Em nota enviada à Fides, a CBM, organização humanitária internacional engajada na prevenção e cura da cegueira e de deficiências nos países do Sul do mundo, informa que um milhão e meio de pessoas estão em risco de segurança alimentar, muitas áreas rurais estão inacessíveis por causa dos danos causados nas estradas. Logo após o furacão, a Unidade de Resposta às Emergências da CBM se ativou com um programa para assegurar às vítimas, especialmente pessoas com deficiências e suas famílias acessar às ajudas, receber apoio psicológico e retomar suas atividades de sustento. O plano de ajudas previu uma fase inicial de identificação das pessoas com deficiência, a reconstrução dos edifícios destruídos e a distribuição de kits agrícolas de sementes e pequenos animais, além da implementação de atividades voltadas para a prevenção de riscos.
Até o momento, a CBM, com parceiros locais, alcançou e levou ajuda a 11.615 pessoas nas regiões haitianas de Jerémie e Les Cayes, duas áreas dentre as mais atingidas pelo furacão, montou campos de socorro temporários, realizou um programa de proteção e ajuda psicossocial. A CBM identificou 3.370 pessoas com deficiências (50% mulheres e 9% crianças) carentes de ajuda psicossocial, encaminhando-as a serviços de ajuda. Em Las Cayes estão ativos cinco grupos de ajuda que já identificaram mais de 70 casos de risco, enquanto 44 pessoas já receberam consulta psicológica.
(AP) (4/4/2017 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network