ÁFRICA/RD CONGO - O drama das crianças abandonadas porque acusadas de bruxaria

Segunda, 3 Abril 2017

Internet

Kinshasa (Agência Fides) - “Bruxo/bruxa” é a causa de abandono de milhares de crianças na República Democrática do Congo, acusadas de serem ‘bruxas’ ou de praticarem a magia negra, às vezes por motivos banais como o fato de ser uma criança nervosa. Esses menores se tornam, assim, alvos de abusos que culminam com sua expulsão da família. Com frequência, é a própria criança a fugir para evitar maus-tratos. O fenômeno diz respeito às crianças mais vulneráveis, as que ficaram órfãs ou que vivem na rua. Segundo as informações enviadas a Fides, estas são cerca de 30 mil em Kinshasa.
As jovens vítimas são submetidas a “sessões de libertação”, práticas de exorcismo em algumas comunidades pentecostais, que fizeram dos exorcismos um negócio que permite aos pastores enriquecerem e, às famílias, de se livrarem de menores considerados “incômodos”. Depois do pagamento do exorcismo, o pastor confirma que a criança é “uma bruxa” e a família pode entregá-la à igreja.
Até mesmo quando o pastor declara que estão curados, as famílias não os leva para casa e os meninos de rua, comem coisas do lixo da feira, dormem em papelões e pedem esmola ou roubam. As meninas são levadas a se prostituir. (AP) (3/4/2017 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network