AMÉRICA/VENEZUELA - Bispos: “um chamado urgente a tomar consciência e agir pacificamente, mas com decisão”

Sábado, 1 Abril 2017

Bispos: "um chamado urgente a tomar consciência e agir pacificamente, mas com decisão"

Caracas (Agência Fides) – Depois dos últimos acontecimentos na Venezuela, onde a Corte Suprema votou para revogar todas as funções do Parlamento, em grande maioria em mãos da oposição, provocando protestos nacionais e internacionais (veja Fides 31/03/2017), a Conferência Episcopal Venezuelana (CEV) publicou um comunicado, recebido pela Fides, em que expressa a sua posição: “Trata-se de uma nova crise nacional extremamente grave, que prejudica a democracia e a convivência dos venezuelanos. Há uma distorção no exercício do poder na Venezuela... A eliminação da Assembleia nacional, substituindo-a com uma representação do poder judiciário e executivo, é uma absoluta ignorância do fato que a soberania reside no povo”.
A CEV adverte para o que pode acontecer: “Isto abre a porta ao arbítrio, à corrupção e à perseguição; é um abismo que cai na ditadura e, como sempre, os mais atingidos são os mais frágeis e pobres da sociedade... Esta distorção é moralmente inaceitável”.
O duro texto dos Bispos sublinha o dever das instituições civis: “É uma responsabilidade inelutável, porque diante do mal não podemos ser apenas espectadores... É um chamado urgente a tomar consciência e a agir pacificamente, mas com decisão, contra o ataque do poder... Devemos defender nossos direitos e os dos outros”.
Os Bispos concluem: “É o momento de se questionar muito séria e responsavelmente sobre a validade e a oportunidade, por exemplo, da desobediência civil e de manifestações pacíficas”.
Nestas horas, a tensão aumenta em todo o país. A oposição fala de um “golpe de Estado em plena regra”, chamando os cidadãos a descer às ruas hoje, sábado, 1o de abril, e lançou um apelo às forças armadas para que apoiem o parlamento. Ontem, um grupo de deputados da oposição e manifestantes foram agredidos por militares da Guarda Nacional enquanto tentavam se aproximar da sede do Tribunal da Corte Suprema. Segundo as últimas notícias de agências, o Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, pediu à Corte Suprema para rever sua decisão de revogar os poderes do Parlamento.
(CE) (Agência Fides, 01/04/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network