EUROPA/ITÁLIA - Uma “revolução” em prol de crianças e adolescentes: a lei que protege os menores desacompanhados

Sábado, 1 Abril 2017 menores   institutos missionários   direitos humanos  

Centro Astalli Palermo

Roma (Agência Fides) – "Na Itália, é reconhecido um direito: o das crianças serem crianças, independentemente de sua proveniência. Chega atrasado, mas o importante é que esses menores, a partir de hoje, são ainda mais tutelados”. É o que disse, numa nota enviada à Agência Fides, a Ir. Neusa de Fátima Mariano, Superiora-Geral da Congregação das Irmãs missionárias de São Carlos Borromeo/Scalabrinianas, que desde a sua fundação se ocupa de migrantes e também dos menores.
Em 29 de março, a Câmara dos deputados aprovou uma lei que garante maior proteção aos menores desacompanhados que chegam à Itália. Trata-se da primeira lei na Europa que se ocupa dos aspectos fundamentais da vida das crianças e adolescentes que chegam ao país, dando-lhes o mesmo estatuto dos menores com cidadania europeia.
“É belo que uma nação decida fazer esta ‘revolução’ em prol dos menores – comenta a Ir. Neusa –. São mais de 25 mil os menores que, sem pais, chegaram à Itália no ano passado. Trata-se de um dado que faz refletir: as famílias de origem preferem gastar toda a sua poupança para salvar o futuro dos filhos e fazer de modo que possam partir, dando-lhes um fragmento a mais de esperança. Nas nossas comunidades, são vários os menores que nos pedem ajuda, para os quais devemos estender uma mão e dar a eles um apoio realmente especial. Além de estarem sozinhos, de fato, carregam em seus olhos a dor de terem se tornado adultos cedo demais”.
(SL) (Agência Fides 01/04/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network