AMÉRICA/MÉXICO - Novas revoltas e violências nas prisões. Reforma sempre mais urgente

Quarta, 29 Março 2017

Dom Antonio González Sánchez

Ciudad Victoria (Agência Fides) – “O que ocorre no cárcere de Cadereyta é somente a ponta do iceberg” assinala um jornal de Nuevo Leon, referindo-se aos dois dias de rebelião no cárcere mexicano, que deixaram dois mortos e treze feridos graves. Ontem e anteontem, os detentos incendiaram colchões nas celas e a farmácia da prisão foi saqueada. “Um sintoma que as coisas são ainda mais graves do que o governo quer admitir”, consta na nota enviada à Fides depois das declarações oficiais do porta-voz do governo, para quem se tratava apenas de um protesto. Mais tarde, o governo admitiu que foi uma rebelião.
Precisamente há três dias, no estado vizinho, Dom Antonio González Sánchez, Bispo de Ciudad Victoria, não muito distante do local do episódio, havia declarado à imprensa que “é urgente no México uma reforma dos cárceres” e havia pedido ao Governo Federal a reforma do sistema, atualmente deteriorado”. “Os cárceres não funcionam como deveriam – disse Dom Gonzalez. Infelizmente, muito se fala de estratégias de segurança, de criar outras instituições, mas creio que a cidadania queira ver resultados tangíveis”. Poucos dias atrás, 29 prisioneiros fugiram do cárcere de Ciudad Victoria, no estado mexicano de Tamaulipas, usando um túnel subterrâneo escavado sob o muro que circunda o instituto penitenciário. A dura reação dos guardas carcerários desencadeou uma rebelião e nas desordens, quatro detentos foram esfaqueados. Três deles morreram.
(CE) (Agência Fides, 29/03/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network