ÁSIA/LÍBANO - Líder do Movimento Patriótico livre: necessária uma lei eleitoral para sair do confessionalismo político

Terça, 28 Março 2017 eleições   igrejas orientais   política internacional   política  

arabpress.eu

Beirute (Agência Fides) – O debate atual entre as forças políticas libanesas para estabelecer a lei eleitoral com a qual elaborar as próximas eleições políticas representa uma oportunidade para tirar o País dos Cedros confessionalismo político e proceder rumo à afirmação de uma plena laicidade. É a convicção de Gebran Bassil, atual Ministro do Exterior libanês e líder do Movimento Patriótico Livre, a formação política maronita fundada pelo Presidente Michel Aoun. Segunda-feira, 27 de março, participando de um jantar oficial da Liga Maronita, o líder político libanês – que é genro de Aoun – pediu aa doção de uma lei eleitoral que leve em conta a real composição do país e favoreça o seu progressivo desapego das pressões sectárias que continuam a ameaçar a convivência civil, procedendo com decisão rumo à “laicidade a que aspiramos”. A nova lei – destacou o ministro do exterior libanês – deverá necessariamente assegurar a representação de cada componente da sociedade libanesa.
O sistema eleitoral atualmente em vigore, formalizado pelos Acordos de Taif que em 1989 estabeleceram o fim da guerra civil, declara que metade dos 128 deputados do Parlamento sejam cristãos (em maioria maronitas), e a outra metade formada por parlamentares muçulmanos e drusos. (GV) (Agência Fides 28/3/2017).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network