ÁFRICA/NIGÉRIA - “A violência dos Fulani alimentada pela cumplicidade do governo”, denuncia o Bispo de Kafanchan

Terça, 28 Março 2017 violência   grupos armados  

Abuja (Agência Fides) - “A crise persiste por causa da maneira em que é gerida pelos governos Estadual e Federal, junto com as agências de segurança”, denunciou Dom Joseph Bagobiri, Bispo de Kafanchan, no Estado de Kaduna do Sul, norte da Nigéria. Dom Bagobiri fez esta declaração em seu discurso de agradecimento pela visita à área de uma delegação da Conferência Episcopal da Nigéria (CBCN). A delegação, guiada pelo Presidente da CBCN, Dom Ignatius Ayau Kaigama, Arcebispo de Jos, além de expressar a proximidade de toda a Igreja nigeriana em relação à população local ameaçada pelas incursões dos agricultores Fulani (veja Fides 11/1/2017), levou algumas ajudas concretas para as pessoas afetadas pela violência.
"É importante afirmar publicamente que a situação de insegurança em que vivemos na Diocese de Kafanchan e em Kaduna do Sul não parou, não obstante a presença dos agentes das forças de segurança", confirmou Dom Bagobiri denunciando que "muitos de nós estão desiludidos ao ver nossos líderes políticos apoiar e sustentar, direta ou indiretamente, os Fulani. É por isso que estamos perdendo rapidamente a confiança da população".
Segundo o bispo, o governo federal tem a responsabilidade de alimentar a crise, porque, contrariamente ao Kaduna do Norte e Central, o Kaduna do Sul, onde vive a maioria dos cristãos da área, está livre de projetos de desenvolvimento federais.
Dom Kaigama sublinhou que a Nigéria é um país de "natureza multiétnica, multirreligiosa em seu complexo. "Por isso, concluiu, os nossos políticos não devem promover os interesses de nenhum grupo específico, mas devem ser neutros e procurar o bem comum a fim de promover a unidade e a igualdade no país". (L.M.) (Agência Fides 28/3/2017)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network