http://www.fides.org

Vaticano

2003-10-14

JOÃO PAULO II E A FAMÍLIA de S.E.R. o Cardeal Alfonso López Trujillo Presidente del Pontifício Conselho para a Família

Cidade do Vaticano (Agência Fides) - Como é notório, a proclamação entusiasta do Evangelho da Família e da Vida como “notícia estupenda” e a proclamação da dignidade e da missão da “Igreja doméstica”, berço do amor e santuário da vida, ocupam um lugar central no coração do Papa.

A Exortação Apostólica Familiaris consortio abriu o ânimo dos fiéis a um renovado impulso da pastoral da família em todo o mundo. Na riqueza doutrinal do Magistério fecundíssimo de João Paulo II, não posso deixar de recordar, como referimentos essenciais, também outros documentos: a Carta as Famílias Gratissimam sane, por ocasião do Ano da Família; e a Encíclica Evangelium vitae, o anúncio mais vigoroso do Evangelho da Vida.

É impossível sintetizar em poucas palavras a abundância e a riqueza do seu ensinamento sobre os temas do matrimônio, da família, da defesa da vida desde o seu concebimento até o momento da morte natural. O Santo Padre não cessa de reafirmar tais temais nas suas visitas pastorais, homilias, discursos, nas suas mensagens aos Bispos, aos movimentos, as várias instâncias também leigas e civis, e no diálogo ecumênico e inter-religioso.

O Santo Padre deu um estraordinário impulso a praxi pastoral da família e da vida; ele recorda que o primeiro responsável dessa pastoral na Diocese é o Bispo(cf. FC 73), recomenda que as Dioceses e as Conferências Episcopais instituam órgãos de pastoral familiar para coordenar e dar impulso às famílias, às paróquias e aos movimentos, tendo em vista uma pastoral orgânica nas suas diversas manifestações (cf. Alocução a X Assembléia Plenária do Pontifício Conselho para a Família, 30.01.1993).

Além da preocupação magisterial, o Santo Padre não deixou de promover os aspectos institucionais. Seguindo o espírito renovador do Sínodo sobre a Família, elevou o primitivo Comitato para a Família ao rango de Dicástério; e ainda instituiu o Pontifício Instituto para Estudos sobre o Matrimônio e a Família que leva o seu nome e a Academia para a Vida.

Uma menção especial merece a proclamação feita pelo Santo Padre do ano 1994 como sendo o Ano da Família na Igreja, por ocasião da indicação, da parte das Nações Unidas, do Ano Internacional da Família.

Naquela ocasião, o Papa quis que se desse em Roma o I Encontro Mundial das Famílias, com o tema “A Família, coração da civilização do amor”, e que tal evento se repetisse trienalmente. Em 1997, no Rio de Janeiro realizou-se o II Encontro Mundial sobre “A família: dom e compromisso, esperança da humanidade”. No ano 2003 a capital das Filipinas, Manilha, acolheu o IV Encontro com o tema “A família cristã: uma boa nova para o terceiro milênio”.

No Ano Santo de 2000, o Jubileu das Famílias coincidiu com o III Encontro Mundial das Famílias, dado em Roma e orientado pelo tema “Os filhos, primavera da família e da sociedade”. O V Encontro Mundial das Famílias foi convocado pelo Santo Padre para o ano 2006, em Valência (Espanha).

Esta incansável atividade a favor da família, fundada sobre o matrimônio entre o homem e a mulher, também teve repercussão fora do âmbito eclesial, com particular incidência na vida da sociedade civil, nas instituições estatais e políticas, em nível nacional e internacional.

Em síntese, o Papa da Família, como foi definido João Paulo II, defendeu incansavelmente os valores do matrimônio, da família e da vida humana, expressos na Carta dos Direitos da Família de 1983 mediante o apelo para uma “cultura de vida” e a denúncia da “cultura de morte”, bem como através da proclamação do direito a vida e dos direitos da família contra toda forma de manipulação da genética humana, de controle demográfico e de domínio por parte dos países ricos daqueles mais pobres do mundo, e muitos outros temas com caráter universal. Não faltaram intervenções e iniciativas concretas oportunas e apropriadas: recordo, por exemplo, o apelo aos Chefes de Estado por ocasião da Conferência Internacional da ONU no Cairo sobre População e Desenvolvimento (em 1994).

João Paulo II: um Papa que mudou o curso da história dos povos, mas também aquele tão fundamental e delicado da família e da vida.

(Agência Fides 15/10/2003)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network