ÁSIA/SIRIA - Arcebispo sírio-católico de Hassakè: não ajudamos somente os cristãos

Quinta, 23 Março 2017 igrejas orientais   guerras   caritas   fome  

Facebook

Hassakè (Agência Fides) - Os militantes do autoproclamado Estado islâmico (Daesh) se retiraram dos arredores de Hassaké. Durante anos, eles tinham se posicionado a menos de vinte quilômetros da capital da província de mesmo nome, no nordeste da Síria. Agora, se afastaram de pelo menos sessenta quilômetros. A cidade respira, mas as consequências do conflito continuam pesando sobre a vida cotidiana: “No sul da capital”, refere à Agência Fides Jacques Behnan Hindo, Arcebispo sírio-católico de Hassaké Nisibi, “existem somente aldeias onde os beduínos passam fome. Eles tinham aceitado a dominação de Daesh que lhes garantia o necessário para viver. Agora, muitos deles apoiam as milícias curdas, porém muitos não têm nada para comer. Como diocese, terminamos de distribuir entre eles três mil cabeças de cabras e cabritos para que possam ter leite e fazer procriar o rebanho com a ajuda de familiares e a comunidade. Serão recursos para garantir a sobrevivência. Os cristãos aqui sofreram muito durante a guerra, mas há aqueles que sofreram como ou mais que os cristãos. E nós ajudamos a todos”.
A Arquidiocese sírio-católico - acrescenta Dom Hindo - também restaurou 25 casas nos bairros situados ao sul de Hassaké, e as distribuiu aos núcleos familiares não-cristãos. A intenção é a de contribuir ao longo do tempo a enfraquecer os conflitos sectários. A este respeito, o arcebispo sírio-católico comentou o comportamento ambíguo de alguns grupos curdos militarizados: “por quase um ano”, afirma o Arcebispo “continuam mantendo o controle do hospital em construção que tinham prometido desocupar até junho passado, para iniciar os trabalhos de restauração e permitir à estrutura de saúde de entrar em funcionamento”. (GV) (Agência Fides 23/3/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network