ÁSIA/PAQUISTÃO - Primeiro-Ministro Sharif : punir a blasfêmia na internet e os abusos da lei para tutelar as minorias

Quarta, 15 Março 2017

Islamabad (Agência Fides) - O Primeiro-Ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, interveio novamente sobre o tema da blasfêmia. Sharif ordenou a remoção de conteúdos “blasfemos” em sites da internet e nas mídias sociais no Paquistão e a punição de quem publica este material. “Devem ser imediatamente adotadas medidas eficazes para remover e bloquear esses conteúdos”, disse o Primeiro-Ministro num comunicado, encarregando o Ministério do Exterior do Paquistão de contatar as empresas internacionais que administram as redes sociais (como Facebook, Twitter, Instagram, muito populares no Paquistão) e exigir o bloqueio das mensagens blasfemas. Sharif pediu também uma punição para quem usa as leis sobre a blasfêmia em vigor no Paquistão de modo impróprio para resolver controvérsias pessoais.
Nos dias passados, durante uma cerimônia na cidade de Karachi para comemorar a festa religiosa hinduísta de Holi, Sharif garantiu que quer agir pelas minorias do Paquistão, que são “tratadas injustamente”. “É motivo de grande satisfação para a nação paquistanesa refutar a política do ódio”, disse.
A blasfêmia é um crime penal no Paquistão, cuja pena pode chegar à prisão perpétua ou à pena de morte. É uma questão de crucial importância e, com frequência, depois de supostos insultos contra o Islã e Maomé podem ocorrer violências em massa, especialmente contra as minorias religiosas. Segundo o Centre for Research and Security Studies, think tank de Islamabad, 65 pessoas foram assassinadas por acusações de blasfêmia no Paquistão a partir de 1990. (PA) (Agência Fides 15/3/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network