AMÉRICA/EQUADOR - Eleições presidenciais: Dom Cabrera convida ao respeito e ao diálogo

Quinta, 9 Março 2017 eleições   política   pobreza  

Eleições presidenciais no Equador

Guayaquil (Agência Fides) – “Não é suficiente vencer as eleições, é importante saber governar, o que requer comportamentos como proximidade, escuta e serviço, independentemente da posição política ou religiosa”, advertiu Dom Luis Cabrera Herrera, OFM, Arcebispo de Guayaquil, em uma carta aberta aos candidatos à fase final das eleições presidenciais, que será no dia 2 de abril.
Na carta enviada à Fides, Dom Cabrera Herrera convida os candidatos ao respeito e ao diálogo na campanha eleitoral que se inicia amanhã, 10 de março. “A proximidade possibilita às autoridades a solidariedade com o nosso povo, especialmente com os mais vulneráveis.
A escuta permite conhecer o que as pessoas vivem, querem e esperam; e não exatamente apenas o que gostaríamos de ouvir. O serviço é o princípio de todo projeto e programa social, político ou econômico”, explica o Arcebispo, que destaca que quando se considera o poder como serviço, os pobres não podem ser manipulados. “Os excluídos não são objetos, mas sujeitos e protagonistas da própria história. Esta convicção requer o reconhecimento, o respeito e a promoção”, conclui Dom Cabrera Herrera.
O candidato Lenín Moreno, do partido Alianza País, venceu a primeira rodada das eleições (38.8%). Não alcançando 40% dos votos, irá ao segundo turno no dia 2 de abril, com o candidato Guillermo Lasso, do partido de centro-direita "Movimiento Creo".
Moreno é apoiado pelo presidente Correa, e Lasso, ex-banqueiro e ex-ministro da Economia, adquire mais simpatizantes com a proposta feita a todos os líderes da oposição de criar uma mesa para a governança do Equador. A primeira a aceitar foi a candidata social-cristã, Cynthia Viteri, que ficou em terceiro lugar na contagem. Viteri disse que apoiará Lasso na rodada final. (CE) (Agência Fides, 09/03/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network