ÁSIA/INDONÉSIA - O rei saudita encontra os líderes religiosos e enaltece tolerância e convivência

Quarta, 8 Março 2017 minorias religiosas   liberdade religiosa   paz   diálogo   direitos humanos  

Jacarta (Agência Fides) - "Compartilhamos aspirações e esperanças com o rei saudita. Este encontro é simbólico e muito importante": é o que disse à Fides o Arcebispo de Jacarta, Ignatius Suharyo, após o encontro inter-religioso organizado pelo governo por ocasião da visita à Indonésia do rei Salman bin Abdulaziz Al Saud, monarca da Arábia Saudita. Rei Salman está visitando a Indonésia durante 12 dias desde 1º de março, com uma delegação de 1.500 pessoas, entre 10 ministros e 25 príncipes.
O jesuíta pe. Magnis Suseno, que também participa do meeting inter-religioso, disse à Fides: "Primeiro, o rei Salman, com seu apreço pelas boas relações entre as religiões na Indonésia, demonstrou seu apoio ao presidente Joko Widodo e às suas políticas não sectárias, fundadas na convivência social e religiosa". Em seguida, acrescenta pe. Suseno, "desiludiu quem esperava que sua visita pudesse encorajar as correntes mais conservadoras do Islamismo indonésio que fizeram barulho nos últimos meses”.
O rei saudita expressou apreço pelo povo indonésio, exemplo de unidade e convivência inter-religiosa. Como apurado pela Fides, estava também no encontro com 28 líderes religiosos indonésios (representando os fiéis de budismo, catolicismo, protestantismo, confucionismo) uma ampla delegação católica, composta por Ignatius Suharyo, Arcebispo de Jacarta; Antonius Subianto Bunjamin, Bispo de Bandung; Paskalis Bruno Syukur, Bispo de Bogor; o jesuíta pe. Magnis Suseno, docente na Universidade Driyakarya em Jacarta.
O Presidente Joko Widodo, organizador do encontro, disse: “Todas as religiões desejam proteger os direitos humanos e a felicidade dos povos". O Presidente informou ao rei que os líderes religiosos representam a pluralidade da Indonésia: “A harmonia é um ponto de referência da sociedade indonésia, que vive na unidade na diversidade. A harmonia e o respeito recíproco são a contribuição da Indonésia para a paz no mundo”.
O rei foi também à ilha de Bali, famosa meta turística da Indonésia, para cinco dias de férias. Aterrissado em Bali, encontrou o padre católico pe. Evensius Dewantara Boli Daton, que dirige a Comissão de assuntos ecumênicos e inter-religiosos da diocese de Denpasar, que saudou o rei em árabe (pois estudou no Dar Comboni Intitute de Cairo e no Pontifício Instituto de Estudos Árabes e Islamismo de Roma). Contatado pela Fides, pe. Dewantara Boli Daton disse: “Rei Salman me parece ser uma pessoa sábia, fez gestos de abertura e acolhimento significativos na atual situação da Indonésia, em que algumas forças tendem ao sectarismo". (PCP-PA) (Agência Fides 8/3/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network