AMÉRICA/PANAMÁ - “A corrupção é paga pelos pobres” denuncia Dom Ulloa na festa nacional do Nazareno

Terça, 7 Março 2017

Dom José Domingo Ulloa Mendieta, O.S.A. na festa do Nazareno

Atalaya (Agência Fides) – A Basílica de São Miguel Arcângelo em Atalaya, 250 km de cidade do Panamá, foi meta de um evento tradicional para os devotos de Jesus Nazareno, que anualmente reúne em 5 de março milhares de fiéis. A missa foi celebrada pelo Arcebispo de Panamá, Dom José Domingo Ulloa Mendieta, O.S.A., que falou sobre a situação do país, de modo especial da chaga da corrupção.
"Quem paga a corrupção? Pobres, hospitais sem medicamentos, pacientes sem assistência ou cuidados espirituais, crianças sem educação e catequese”, disse Dom Ulloa. "Ninguém está isento de responsabilidade: nem a Igreja, nem os ricos e nem os pobres”, acrescentou, segundo o texto recebido pela Fides.
Na Missa, o arcebispo consagrou o país e a Jornada Mundial da Juventude 2019 ao Coração Imaculado de Maria. "Peçamos ao Nazareno que a nossa festa supere a tradição e o folclore e possa transformar a vida e a nossa sociedade”, disse o Arcebispo.
"Hoje comemoramos 24 anos da visita de João Paulo II ao Panamá e temos a alegria de ter conosco uma das 13 cópias da imagem de Nossa Senhora de Fátima que estão peregrinando em todo o mundo, para comemorar o centenário de suas aparições na Cova de Iria, em Portugal. O Panamá é um dos países privilegiados".
“Mas existe um pecado ainda mais grave do que a corrupção – acrescentou Dom Ulloa -, que é a indiferença; dizer que pouco importa nos torna insensíveis à dor do próximo, diante da necessidade do próximo. Este é outro dos males que temos que combater, porque a indiferença nos paralisa, permanecemos parados, fixos em nosso lugar, pensando que tudo passa e não nos diz respeito”.
(CE) (Agência Fides, 07/03/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network