ÁSIA/MIANMAR - A "Madre Teresa de Myanmar" cuida de doentes de Aids

Sábado, 4 Março 2017 aids   saúde   igrejas locais   ordens religiosas   freiras   infância   madre teresa  

Irmã Martha com suas crianças

Yangon (Mianmar) – Todos a chamam de “Madre Teresa de Mianmar”: é Irmã Marta Mya Thwe, religiosa da Congregação de São José da Aparição (SJA), engajada incansavelmente nos serviços dedicados aos doentes de Aids ou soropositivos, carentes de cuidados específicos, marginalizados pela sociedade e expulsos de suas famílias, e dos quais as instituições médicas birmanas não se ocupam.
Falando com a Fides, Irmã Marta fala de seu empenho: “Muita gente têm medo de tocar as pessoas contagiadas pela Aids. Notei que muitos doentes são expulsos de suas casas por causa desta doença. Viam-se doentes terminais e até mortos abandonados nas ruas. Nos últimos anos houve um aumento dramático do número de mortos por esta doença, totalmente abandonados pelo governo e pelas instituições”.
Em 2001, tomada pelo impulso de fazer algo, pediu ajuda a uma monge budista e com auxílio de benfeitores e estudantes, fundou o Centro de cura “Espelho da Caridade”, que fornece abrigo, alimentos, medicamentos e meios educativos para órfãos e pessoas doentes de Aids. O primeiro centro surgiu em Kyeikkami, pequena cidade rural no estado de Mon, e iniciou a acolher e assistir pacientes contagiados com a Aids dos estados de Kachin, Shan e Karen, com uma equipe de duas religiosas e 10 leigos.
A obra é marcada pela compaixão. “Vi morrer muitos, quase todos os dias, devido à impossibilidade de ter acesso a remédios antirretrovirais. Acompanhamos muitos em seus últimos momentos de vida”, recorda. Depois de numerosos esforços, a religiosa conseguiu obter medicamentos e começou o tratamento para 20 pacientes. Em seguida, graças a benfeitores, inclusive estrangeiros, conseguiu administrar a terapia a cerca de 103 adultos e crianças. Aberto em uma pequena casa de madeira em 2002, o centro hoje se estende em um conjunto de muitos edifícios, financiados pelas Embaixadas de Austrália, Japão e Alemanha. O conjunto inclui também um pequeno terreno agrícola e algumas cabeças de gado, uma estrutura para cursos de formação profissional com abordagem ‘holística’, para acompanhar os doentes em suas vidas. Hoje, possui também uma pequena clínica que oferece assistência de saúde geral onde se fazem testes para doenças como malária ou hepatite.
Em 2014, um novo centro de atendimento nasceu em Kawthaungnel, no sul de Mianmar, onde a Aids é difundida. Outros centros de atendimento e acompanhamento se encontram nas cidades de Kyaikkami e Thanbyuzayat, assistindo cerca de 104 pacientes, dentre os quais 24 crianças abaixo de 15 anos.
“Estamos buscando enfrentar o problema das crianças doentes com uma assistência integral para o seu crescimento, que prevê cuidados, mas também o percurso educacional”, conta a Fides Irmã Marta, observando que muitas vezes os pais e familiares não estão dispostos a aceitar que as crianças retornem às suas respectivas famílias. (SD-PA) (Agência Fides 4/3/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network