ÁFRICA/CONGO RD - Novas profanações de igrejas e conventos: condenação unanime da Nunciatura, dos Bispos e da ONU

Sexta, 24 Fevereiro 2017

Kinshasa (Agência Fides) – Continuam as profanações de igrejas católicas na República Democrática do Congo, após os ataques à paróquia de São Domingos em Limete, na capital, Kinshasa em 19 de fevereiro, e ao Seminário maior de Malole de Kananga, no Kasai Central, em 18 de fevereiro (veja Fides 21/2/2017).
Segundo notícias recebidas pela Agência Fides, na noite entre 21 e 22 de fevereiro, desconhecidos atacaram e vandalizaram a paróquia de Santa Maria de Lukalaba, em Kasai Oriental, enquanto outro grupo tentou saquear as paróquias de Saint Robert Kansele e de Saint Albert le Grand em Mbuji-Mayi, mas a sua ação violenta foi interrompida com a chegada da polícia. Em Lubumbashi (Haut-Katanga), a paróquia de Saint Kizito foi invadida por desconhecidos que tentaram incendiar a entrada da igreja com barris de gasolina e pneus, romperam os vidros do lugar de culto e da escola vizinha, que foi também saqueada. O mesmo aconteceu na paróquia de São João Batista no bairro de Gbadolite, e no convento das “Servas de São José”, na mesma cidade.
A Nunciatura Apostólica na República Democrática do Congo, a Conferência Episcopal local (CENCO) e a Missão da ONU de Estabilização da RDC (MONUSCO), condenaram os atos vandálicos contra as estruturas da Igreja.
“Os locais de culto pertencem a todos. Quem os ataca atinge um bem comum de todos os congoleses”, afirma um comunicado conjunto assinado por Dom Louis Mariano Montemayor, Núncio Apostólico em Kinshasa, por Dom Marcel Utembi Tapa, Arcebispo de Kisangani e Presidente da CENCO, e por Maman Sidikou, o diplomata nigeriano chefe da MONUSCO, que pedem a suspensão imediata dos vandalismos. (L.M.) (Agência Fides 24/2/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network