ÁSIA/INDONÉSIA - Proibido celebrar São Valentim: os católicos se opõem

Terça, 14 Fevereiro 2017 direitos humanos   legalidade   liberdade religiosa   minorias religiosas   jovens   estudantes   instrução   islã  

Bandung (Agência Fides) - A Comissão diocesana para os leigos da diocese de Bandung contesta uma circular regional que proíbe aos estudantes celebrar São Valentim. A medida foi assinada por Ahmad Hadadi, chefe do Departamento para os assuntos escolares regionais de West Java, que proibiu expressamente aos estudantes da província de West Java celebrar São Valentim na escola ou fora dela. Como apurado por Fides, a carta é dirigida a todos os responsáveis por escritórios municipais e a todos os diretores das escolas de ensino médio e das escolas profissionalizantes.
A proibição é motivada pelo esforço da administração em “construir um caráter nobre dos estudantes”, e evitar atividades “que são contra as normas religiosas, sociais e culturais”. Aos diretores e aos docentes se pede que vigiem sobre o respeito dessas medidas.
Em resposta a esta decisão, Pe. Paulus Rusbani Setyawan, sacerdote responsável pela Comissão para os leigos da diocese de Bandung, afirma a Fides: "A questão não diz respeito estritamente a matérias como a formação e a instrução. De um lado, a circular poderia ser entendida como uma tentativa de proteger os estudantes, mas na realidade resulta “artificial e infantil, pois provém de uma instituição que se ocupa de instrução". A circular, acrescenta o sacerdote, "não tem certamente um valor educativo para a atual geração de jovens que são ‘globais’ e que, graças à tecnologia, estão conectados com o mundo todo".
A emissão desta circular, destaca ainda pe. Setyawan, "indica que o chefe dos assuntos escolares regionais de West Java não conhece e não compreende o universo estudantil e simplesmente leva avante o seu modo de pensar. Isso não é coerente com o interesse da formação dos estudantes".
"Todo regulamento deve ser baseado no espírito de amor", ressalta. "No que diz respeito à celebração do dia de São Valentim, é preciso falar com os estudantes com espírito educativo e amoroso, em primeiro lugar pensando que não são mais crianças".
“Como mínimo – conclui o chefe da Comissão para os leigos – o Escritório da Educação deveria explicar aos estudantes porque esta proibição de São Valentim”, enquanto seria útil “iniciar uma reflexão para conduzir os estudantes a escolher a justa forma de celebração”. (PP-PA) (Agência Fides 14/2/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network
direitos humanos


legalidade


liberdade religiosa


minorias religiosas


jovens


estudantes


instrução


islã