ÁFRICA/GÂMBIA - “A crise foi superada, mas precisamos de ajuda”, diz a Fides o Bispo de Banjul

Sexta, 27 Janeiro 2017 política   refugiados  

Banjul (Agência Fides) – “Em sua chegada a Banjul, em 26 de janeiro, o novo presidente Adama Barrow foi recebido por uma multidão de milhares de pessoas”, disse à Agência Fides Dom Robert Patrick Ellison, Bispo de Banjul, capital da Gâmbia, pequeno país africano que saiu da crise provocada pela recusa inicial do ex-presidente Yahya Jammeh de entregar o poder ao seu sucessor (veja Fides 21/1/2017). Graças à pressão internacional Jammeh concordou em ir para o exílio na Guiné Equatorial, transportando 11 milhões de dólares, cerca de 1% do Produto Interno Bruto de um dos países mais pobres do continente.
Apesar deste roubo, de acordo com Dom Ellison, “o país está calmo agora. Agora, queremos olhar para o futuro. O processo ainda será longo e difícil. O país precisa sobretudo da ajuda dos EUA e da União Europeia”.
“O problema mais urgente é fazer voltar e organizar os deslocados internos e os refugiados no Senegal, que fugiram no mês passado por causa da crise política”, disse Dom Ellison. “Essas pessoas precisam de um forte apoio”. Dos 2 milhões de habitantes da Gâmbia cerca de 40-50 mil se refugiaram no Senegal.
A principal fonte de renda é o turismo, mas a crise política fez com que os turistas estrangeiros não visitassem o país. “Estou certo” – disse o bispo – “de que os turistas vão voltar muito em breve após a crise que colocou a Gambia, pela primeira vez no centro de mídia internacional, algo que eu nunca tinha visto antes. Agora acabou. Se vocês querem nos ajudar, voltem a Gâmbia como turistas”, concluiu. (L.M.) (Agência Fides 27/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network