ÁFRICA/GABÃO - “Rechacemos a violência”, exortam os bispos, enquanto a situação permanece tensa

Quarta, 25 Janeiro 2017 bispos   política  

Libreville (Agência Fides) - “A situação atual de nosso país é muito preocupante e interpela a todos”, afirmam os bispos do Gabão na mensagem publicada no final da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal.
O Gabão está atravessando uma crise política e social profunda depois da eleição do Presidente Ali Bongo Ondimba, fortemente contestada da parte do opositor, Jean Ping, na consulta de 27 de agosto (veja Fides 1 e 3/9/2016). A situação era tão tensa que em 11 de setembro o Papa Francisco fez um apelo para que todas as partes renunciassem à violência (veja Fides 14/9/2016).
Uma delegação da oposição gabonense foi em 24 de janeiro a Bruxelas, para recordar à União Europeia a sua responsabilidade em pedir a recontagem dos votos das eleições presidenciais depois de que um relatório dos observadores europeus, publicado em dezembro, afirmava que existe um “processo opaco” nas operações de apuração dos votos.
A situação não se degenerou, mas permanece tensa, a ponto de que na primeira mensagem de 2017, cujo texto foi enviado à Agência Fides, os bispos exortam os gabonenses à vigilância: “Fiquem atentos! Sejam corajosos! Mostrem-se homens e mulheres!”
Os bispos se dirigem a todos os fiéis, cristãos, muçulmanos e pertencentes às religiões tradicionais, para que não se façam instrumentalizar e manipular por políticos sem escrúpulos, exortando todos a “dizer não à violência”. Um apelo foi dirigido em particular aos jovens, definidos “o futuro do país”, aos quais se pede para “viver na reconciliação com Deus e entre nós”, porque sem ela “o seu futuro será seriamente prejudicado, pois o ódio, uma vez semeado no coração, é difícil de extirpar”. (L.M.) (Agência Fides 25/1/2017)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network